Amazonas se consolida no mercado internacional de ópera

Foto: Michael Dantas/Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Após uma temporada no Teatro Municipal de Santiago, no Chile, em novembro de 2019, cenários e figurinos da ópera “Fausto”, de Charles Gounod, sucesso do 21º Festival Amazonas de Ópera (FAO), estão de volta à Central Técnica de Produção (CTP), da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. A partir desta parceria, o Amazonas se consolida no mercado internacional e se prepara para exportar novas produções.

O próximo passo, segundo o titular da pasta, Marcos Apolo Muniz, será no 23º Festival Amazonas de Ópera, entre os dias 18 de abril e 7 de junho. O evento contará, na programação, com produções como “Fidelio”, única ópera de Beethoven, numa montagem em conjunto com a Ópera da Colômbia e “Peter Grimes”, de Benjamin Britten, numa produção em parceria com a Universidade de Los Andes, de Bogotá.

Articulação – Conforme Muniz, antes da nova montagem no país vizinho, “Fausto” também teve uma série de sete apresentações no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, em julho do ano passado. Ele explica que a negociação com o Chile iniciou durante uma reunião da Ópera Latinoamérica (OLA), parceria importante para colocar os trabalhos realizados no Amazonas em pauta.

Liderança – Produtora executiva do Festival, Flávia Furtado adianta que já está na articulação de parcerias para 2022. Ela destaca que a repercussão positiva sobre o mercado internacional faz com que teatros brasileiros tenham o Amazonas como referência.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui