Amazônia Conectada permite expansão do projeto de telessaúde no interior

Foto: Rodrigo Santos/SES-AM

Os avanços do Programa Amazônia Conectada, implantado pelo Exército em parceria com a Empresa de Processamento de Dados do Amazonas (Prodam), vai permitir a expansão do projeto de Telessaúde da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM) no interior.

A conexão por fibra ótica dará impulso ao projeto executado pela SES-AM em parceria com o Hospital Albert Einstein, por intermédio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS).

Foto: Rodrigo Santos/SES-AM

A Telessaúde permite, hoje, que pacientes de municípios alcançados pelo programa tenham acesso à consulta especializada com médicos do hospital Albert Einstein, em São Paulo. Atualmente, 12 municípios fazem parte do projeto de Telessaúde: Lábrea, Manaus, Envira, Barcelos, Careiro, Jutaí, Tonantins, Alvarães, Anori, Eirunepé, Tapauá e São Paulo de Olivença. Entre novembro de 2020 a abril de 2021, 552 atendimentos foram realizados, em sete especialidades médicas.

A meta é que, nos municípios com fibra ótica, as unidades de saúde também sejam conectadas. Seis municípios do interior têm unidades com fibra ótica do Amazônia Conectada.

O secretário de Saúde, Marcellus Campêlo, destacou que a expansão do Programa Amazônia Conectada vai permitir levar serviços públicos e dignidade ao povo amazonense, integrando a população do interior com o resto do país. A SES-AM vem avançando na implantação de novas tecnologias de informação e, através dessa conexão por fibra ótica, o interior será beneficiado.

“O Amazônia Conectada vai permitir que toda essa conexão de dados também venha do interior para nossa base, aqui em Manaus. Então, nós vamos enxergar não somente a rede de Manaus, que é muito grande, mas também os municípios do interior que estejam conectados. A qualidade da conexão por fibra ótica vai permitir essa comunicação, em tempo real, e a gente vai enxergar com muito mais rapidez e poder agir de forma rápida para resolver os problemas”, disse o secretário.

Foto: Rodrigo Santos/SES-AM

Nesta sexta-feira (30/04), em reunião na sede da SES-AM, o general Decílio Sales, vice-chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia (DCI) do Exército, apresentou as metas do programa. Ele ressaltou que o Programa Amazônia Conectada está avançando por conta da parceria entre o Governo Federal, Governo do Estado, as prefeituras e a Prodam. Ele explica que essa expansão ocorre por conta da capacidade da rede ser muito grande, para não atender somente as unidades do Exército no Estado.

O diretor-presidente da Prodam, Lincoln Nunes, que coordena essa conexão da internet por cabo de fibra ótica, disse que o projeto do Exército permite que a tecnologia aplicada em grandes centros possa alcançar o interior do Amazonas.

Da reunião na sede da SES-AM participaram também a secretária de Administração do Estado, Inês Simonetti; da secretária executiva adjunta da Seduc, Rosalina Lobo; do secretário de Assistência do Interior, da SES-AM, Cássio Espírito Santo; e do secretário executivo adjunto de Tecnologia da Inovação, Francisco Arce.

Ampliação – Até o final do ano, o Exército espera ampliar a conexão por cabo de fibra ótica, chegando a 2 mil quilômetros instalados. As conexões são realizadas por infovias. Na Infovia do Rio Negro estão conectados: Manaus, Barcelos, Vila de Moura e Novo Airão, com expectativa de chegar a Santa Isabel do Rio Negro e São Gabriel da Cachoeira. Já a Infovia Rio Solimões conecta os municípios de Manacapuru, Coari (que estão sendo revitalizados), Iranduba e Tefé.

Com essa rede disponível, através da Prodam, 133 órgãos estão conectados: seis unidades de saúde, 54 escolas e 73 instituições públicas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui