Após reunião, Dilma confirma que anunciará ministro da fazenda amanhã(27)

Ministro Thomaz Traumann, da SECOM/Foto: Reprodução

Ministro Thomaz Traumann, da SECOM/Foto: Reprodução
Ministro Thomaz Traumann, da SECOM/Foto: Reprodução

O ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Thomas Traumann, informou hoje, quarta-feira (26), que os novos titulares da Fazenda e do Planejamento serão anunciados amanhã, quinta (27) pela presidente Dilma Rousseff. Os novos integrantes do primeiro escalão, explicou Traumann, usarão gabinetes no Palácio do Planalto durante o período de transição para montarem suas equipes.

Segundo o Blog da Cristiana Lôbo, Dilma se reuniu nesta terça (25) com o ex-secretário do Tesouro Nacional Joaquim Levy, cotado para assumir o comando da economia, o ex-secretário-executivo da Fazenda Nelson Barbosa, que deverá ser anunciado nesta quinta para o cargo de ministro do Planejamento, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, que deve ser mantindo no posto. Os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Guido Mantega (Fazenda) também participaram do encontro com a chefe do Executivo.

Joaquim Levy já está em Brasilia desde segunda-feira (24) elaborando propostas para tentar equilibras as finanças do governo. Em setembro, as contas públicas registraram o pior resultado da história.

De acordo com o chefe da Secretaria de Comunicação Social, os dois ministros que serão anunciados nesta quinta concederão entrevista coletiva à imprensa no Palácio do Planalto logo após a oficialização de seus nomes.

Segundo Thomas Traumann, não haverá, como de costume, cerimônia de posse dos novos ministros. A expectativa é que a presidente da República viaje na sexta-feira para Fortaleza (CE) para participar de reunião organizada pela direção nacional do PT.

Ministro da Fazenda mais longevo da história, Guido Mantega deixará o comando da economia brasileira após mais de oito anos no posto. Nascido na Itália e criado em São Paulo, ele foi indicado para o cargo pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2011, Dilma o manteve à frente do Ministério da Fazenda.

No entanto, em meio à campanha eleitoral deste ano, a presidente da República anunciou que Mantega seria substituído em um eventual segundo mandato. Segundo ela, o próprio ministro pediu para deixar o cargo “por razões pessoais”.(G1)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui