Aproveitando crise, Petrobrás entrega controle do gasoduto Bolívia-Brasil por U$ 500 milhões

Governo Bolsonaro continua passando a boiada; mais uma unidade da Petrobras sendo entregue para o capital internacional - foto: recorte/recuperada

Segundo a Reuters, a EIG deve pagar entre US$ 500 milhões e US$ 1 bilhão pela participação de 51% da Petrobras na TBG.

A Petrobras está próxima de um acordo com a EIG Global Energy Partners para a venda do controle da Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil, segundo três fontes com conhecimento do assunto.

A EIG deve pagar entre 500 milhões de dólares e 1 bilhão de dólares pela participação de 51% da Petrobras na TBG, segundo as fontes, que pediram anonimato para revelar discussões privadas.

A TBG é proprietária e opera o trecho no Brasil do gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol), que tem aproximadamente 2.600 quilômetros, incluindo a rede de transporte no Sul do país. O Gasbol tem capacidade de transportar até 30 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural vindo da Bolívia.

EIG deve pagar entre US$ 500 milhões e US$ 1 bilhão pela participação de 51% da Petrobras na TBG – foto: recorte/recuperada

No ano passado, a EIG vendeu uma participação de 27,5% na TBG para a belga Fluxys por um preço não revelado. Era uma condição para que pudesse entregar proposta para a compra de controle do gasoduto.

A TBG teve um resultado operacional pouco superior a 900 milhões de reais nos primeiros nove meses do ano passado.

A companhia será a terceira operadora de gasodutos privatizada no país. Em 2016, a Petrobrás vendeu a Nova Transportadora do Sudeste (NTS) para um consórcio liderado pela canadense Brookfield Asset Management e Itausa SA por 5,2 bilhões de dólares.

Em 2019, a Petrobrás vendeu a TAG, que opera principalmente no Nordeste, para a francesa Engie e o fundo canadense CDPQ por 8,7 bilhões de dólares.

Reuters

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui