As composições existem, a preocupação são as “trairagens”

Senador Omar Aziz, depois da tempestade, volta a fazer aparições na mídia local - foto: Senado

A preocupação dos candidatos ou prováveis candidatos nas eleições deste ano são com as traições, o não cumprimento de acordos, ou falando no linguajar popular: com as “trairagens” comum de ocorrer no meio político amazonense.

Um que está “com um pé atrás” é o presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Amazonas (ALEAM), deputado David Almeida. É que circula nas mídias, que David teria sido procurado, recentemente, por Omar Aziz, com a intenção de reatarem as amizades para formarem uma aliança nas eleição deste ano.

David está tratando esse assunto com muita cautela e até negando a aproximação. Não se pode esquecer, que foi Omar quem apunhalou David pelas costas. O dono do PSD, simplesmente vetou uma candidatura que, certamente, levaria David Almeida ao governo na eleição suplementar de 2017.

Senador Omar Aziz: depois da tempestade, volta a fazer aparições na mídia local – foto: Senado

Políticos locais afirmam que se trata de pura encenação ou que Omar estaria plantando notícias na mídia, com a intenção de desmobilizar o grupo político formado por David Almeida. A intenção de Omar nesse momento é prometer apoio a Davi, mas na “hora H”, ou seja, quando terminar o prazo do lançamento de candidatura, novamente, irá dar as costas e não cumprir acordo nenhum. Essa é uma prática comum do senador. Vanessa Grazziotin, Rebecca Garcia, Eduardo Braga … quem o diga.

Na outra ponta

Plínio Valério, também, é outro que está se sentindo traído pelo prefeito Arthur Neto, e deve deixar o PSDB e se lançar candidato ao Senado, por outra legenda. Plínio se queixa do prefeito ter feito centenas de promessas a ele, mas nenhuma delas foram cumpridas. Arthur joga com interesses, unicamente, de favorecimento pessoal familiar.

Nesse contexto, não se deve esquecer do governador Amazonino Mendes, que vem se afastando do prefeito Arthur Neto (PSDB) e do próprio Omar Aziz, os quais lhe ajudaram na eleição suplementar do ano passado e, em contrapartida, Amazonino prometeu que ficariam junto nas eleições deste ano.

Tudo indica que isso não irá acontecer. Amazonino andou anunciando que lançaria o seu vice, Bôsco Saraiva, candidato ao governo em 2018. Mas também não existe nada confirmado.

O certo é que, com Bôsco Saraiva candidato indicado por Amazonino, os interesses de Omar estariam comprometidos e, portanto, é hora do senador ir buscar reatar com ex-aliados, que hoje o veem com muita desconfiança.

A hora é de espera, cautela e muito caldo de galinha. Até para quem anda tentando fazer composições nas mídias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui