Asteroide gigante deve passar perto da Terra, nesta sexta-feira

Foto: Reprodução

O Centro de Estudos de Objetos Próximos à Terra (Cneos) da Nasa informou que um asteroide gigante, com 1,8 quilômetro de diâmetro passará “perto” da Terra entre a tarde e a noite desta sexta-feira (27).

Chamado de 7335 (1989 JA), o corpo rochoso foi descoberto em 1989 e deve passar a uma distância de quase 4 milhões de quilômetros da Terra — quase dez vezes a distância até a Lua –, atingindo a velocidade de cerca de 47.232 km/h, segundo a Cneos.

O asteroide não deve atingir nosso planeta, mas ainda assim, foi classificado como “potencialmente perigoso”.

À CNN, Natasha Costa da Fonseca, pesquisadora na área de meteoritos do Observatório do Valongo, disse que “a classificação tem uma relação direta com o tamanho dele e o conhecimento da órbita”.
“Quer dizer que existe alguma chance de atingir a Terra, e, caso acontecesse, que ele é grande o suficiente para causar danos regionais”, explicou.

Mas não há motivo para pânico. Natasha aponta a chance de colisão não é grande. “Isso acontece o tempo todo e normalmente essas chances são muito pequenas. Mas como existem, chamamos de Objeto Potencialmente Perigoso. Isso confunde muitas pessoas”, afirmou.

Segundo ela, objetos com mais de 50 metros já são capazes de causar tsunamis e causar um estrago na Terra.

A Nasa classifica como Objetos Potencialmente Perigosos aqueles que podem se aproximar a uma distância mínima de interseção da órbita terrestre inferior a 0,05 au (unidade astronômica) — ou 7.480.000 quilômetros.

A distância do 7335 (1989 JA) em relação à Terra será de 0,026 au — ou 3.889.544 quilômetros.

A pesquisadora afirma que objetos entram no nosso planeta diariamente, mas normalmente são bem pequenos e muitas vezes mal sobrevivem ao passar pela nossa atmosfera — eles vão se desintegrando.

“Quando conseguem entrar, a maior chance é que caiam no mar. Quando caem em solo e conseguimos encontrá-los, viram meteoritos”, comenta.

A agência espacial lançou no ano passado a missão DART, ou Teste de Redirecionamento de Asteroide Duplo, com o objetivo de destruir Dimorphos, uma pequena lua orbitando o asteroide Didymos, próximo à Terra.

Esta será a primeira demonstração em grande escala desse tipo de tecnologia pela agência em nome da defesa planetária. Também será a primeira vez que os humanos alteram a dinâmica de um corpo do sistema solar de forma mensurável, de acordo com a Agência Espacial Europeia.

Fonte: CNN Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui