Áudio: suposta trama põe Zé Roberto em negociação contra os Rodoviários

Foto: Francisco Amaral (Gogó), aparece no áudio como chefe das negociações

Muito estranha uma das falas em um áudio recuperado de um telefone de ex-integrante do Sindicato dos Rodoviários de Manaus. A fala revela uma suposta negociação com o crime organizado, que estaria financiando um grupo formado por ex-integrantes da categoria na retomada do sindicato.

Uma das falas é identificada como sendo do ex-trabalhador, encostado pelo INSS há mais de 15 anos, Francisco Amaral, que é conhecido pelos trabalhadores com a alcunha de “Gogó”. Ele estaria recorrendo a uma das figuras mais conhecidas no mundo do crime organizado, o Zé Roberto da FDN, para supostamente bancar liminar na justiça, que lhes daria o direito de assumir a direção do sindicato dos Rodoviários nos próximos dias.

Gogó, fala no áudio com Francisco Bezerra (o Perneta) e com Jânio Pereira, que compõe o trio de ex-trabalhadores do sistema, que já estiveram na direção sindical por fforça de liminar conseguida em plantões judiciário do Tribunal Regional do Trabalho (TRT11). Eles são especializados em construírem peças judiciais e, através da justiça do Trabalho, conseguem liminares de destituição de diretorias sindicais e peritos em formação de junta governativas para dirigirem sindicatos.

Foto: Francisco Amaral (Gogó), aparece no áudio como chefe das negociações

No áudio um deles diz que a intenção é: “competir com os Oliveiras… vou bater na família todinha… não é só num candidato não… num é só num irmão não”… estamos com uma estrutura, nós estamos com quatro policiais MALANDROS… porque eu só gosto de mexer com malandros…. ou ganha ou ganha… sabe usar as duas posição de ganhar…. uma é no voto e a outra é no JUDICIÁRIO…. hahaha!!!…. falei hoje com o Zé Roberto… o patrão sabe como é que eu ajo, Zé Roberto sabe…”…

A conversa foi travada com o Piauí (apelido) e com Francisco Bezerra (Perneta). Toda ela recheada de palavras como: “chefão”, ganha de um jeito ou de outro, trabalhar nos bastidores, que as coisas estão caminhando (liminar para destituir a diretoria dos Rodoviários), patrão, estou indo com o ‘presente’… e muitos risos durante toda a conversação.

O caso requer investigação da Polícia Federal e do Ministério público, para averiguar o grau de participação do crime organizado nas rotineiras liminares de destituição de presidências sindicais em todo o amazonas. Em 2016, foram quatro diretorias sindicais destituídas, inclusive a dos Metalúrgicos.

Ouça o áudio:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui