Bancários recolhem assinaturas nas agências do Santander de Rondônia pelo fim das demissões

Bancários recolhem assinaturas nas agências do Santander de Rondônia pelo fim das demissões.

Dirigentes do Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (SEEB-RO) percorreram, na manhã desta quarta-feira, 21, as três agências do Santander em Rondônia, todas elas localizadas no Centro de Porto Velho, para recolher assinaturas de clientes, usuários e funcionários para um abaixo-assinado que será encaminhado à direção nacional do banco no país, dia 27 de maio, num ato público em São Paulo, exigindo o fim da onda de demissões que impera no Brasil.

Bancários recolhem assinaturas nas agências do Santander de Rondônia pelo fim das demissões.
Bancários recolhem assinaturas nas agências do Santander de Rondônia pelo fim das demissões.

O ato, que faz parte da Jornada Nacional de Lutas dos Trabalhadores do Santander, também reclama a contratação de mais funcionários e a redução das tarifas cobradas dos clientes.

No ano passado, os correntistas do banco espanhol desembolsaram R$ 9,8 bilhões somente com o pagamento de tarifas. Com este valor seria possível contratar cerca de 25 mil novos bancários. O banco, no entanto, andou na contramão e demitiu 4.833 funcionários.

Os cortes de postos de trabalho ocorreram no mesmo período em que o Santander ganhou milhões de novos correntistas, passando de 27,3 milhões no primeiro trimestre de 2013 para 30 milhões nos primeiros três meses deste ano – salto de 10%. O número de contas correntes por bancário, que era de 520, passou para 617 no período.

“É um legítimo contrassenso o banco demitir milhares de pessoas em todo o país exatamente quando ele (o banco) teve um aumento considerável no número de clientes. Com essas demissões e, consequentemente, com a não contratação de mão de obra para ocupar as vagas deixadas por estes desligados, os funcionários que continuam nas agências tem sua carga de trabalho sobrecarregada e, aliada à pressão pelo cumprimento de metas desumanas, estes funcionários acabam adoecendo, sem mencionar que o atendimento ao público, que já é precário, fica ainda pior”, avalia Clemilson Farias, diretor de imprensa do Sindicato e funcionário do Santander, que acrescenta: “Não é à toa que o Santander lidera as reclamações do Banco Central há quase um ano ininterruptamente”.

Durante o ato, além da leitura de manifesto nas agências, foram distribuídas cartas-manifesto aos clientes, que apoiam a luta assinando pedido de mais contratações. Os sindicalistas também apresentaram ao público um cheque ‘simbólico’ de um executivo do banco, que ganha 147 vezes mais que um escriturário. (Portal Rondônia)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui