Formal & Informal

Belão perde a classe e a vaga de 1° vice-presidente da Aleam

O grupo de 17 deputados não querem ver Belão na Mesa – Foto: Divulgação
Redação I
Escrito por Redação I

Nos corredores da Assembleia Legislativa do Amazonas as articulações dão como certa a perda de força do veterano Belarmino Lins (PP), que depois de ser candidato à presidência da Casa, levou “baile” do colega Josué Neto na corrida, perdeu fôlego e jogou a “toalha”. No desespero, Belão passou a se articular por um lugar de destaque na Mesa Diretora, mirando a 1ª vice-presidência. A eleição do grupo que comandará o poder no próximo biênio (2019/2020) acontece na próxima sexta-feira, 1 de fevereiro, logo após a solenidade de posse dos deputados eleitos e reeleitos.

O “decano”, como gosta ser chamado devido aos seus oito mandatos consecutivos no Legislativo Estadual, cometeu erros de um iniciante e o grupo dos 17 deputados que inicialmente caminharam com Josué Neto não querem ver Belão na Mesa de jeito nenhum. Dessa forma, o veterano abriu espaço para o crescimento político da nova geração.

Confira a lista dos “sete pecados” de Belão:

1º – Na luta pela presidência da ALEAM, Belão já começou todo errado. Ele, que é conhecido por ser governista até a alma, se aliou a duas figuras do governo derrotado de Amazonino Mendes – o deputado Dermilson Chagas e o ex-presidente da Amazonastur, o empresário Orsine Oliveira Júnior.

2º – Polido na tribuna, Belão jogou pesado nos bastidores e atacou duramente Josué Neto em publicações e notas em jornais, sites e blogs com quem tem parceria. Enquanto isso, o radialista fazia o trabalho de “formiguinha” consolidando os votos dos deputados mais antigos e se aproximando dos novatos. O discurso da juventude com a experiência de duas administrações da Casa Legislativa falou mais alto;

3º – Belão brigou com três mulheres e se deu mal: o decano bateu de frente com sua colega de partido, Doutora Mayara Pinheiro. A atitude foi malvista, pois a médica campeã de votos no pleito de 2018 tinha apoiado o irmão do deputado, Átila Lins, na campanha para federal em Coari. Além disso, ele se indispôs com Alessandra Campêlo, boa articuladora e aliada de primeira hora de Josué na articulação para a Mesa, e Therezinha Ruiz, a experiente vereadora que é bastante respeitada em todos os campos políticos;

4º – Belarmino não resolveu nem as questões internas, digamos, familiares: Fausto Júnior, que é sobrinho do decano, foi para o lado oposto e gravou vídeo declarando apoio a Josué Neto. Com se diz no popular, “algo de errado não estava certo”;

5º – No desespero, Belarmino Lins atacou até o Tribunal de Contas do Estado (TCE) em postagens nas redes sociais, atribuindo ao órgão a interferência na eleição de Josué Neto, filho do conselheiro Josué Filho. Nem mesmo a presidente Yara Lins escapou das “cutucadas” da Velha Raposa;

6º – Consagrados nas urnas, os deputados Wilker Barreto (PHS) e Carlinhos Bessa (PV) foram alvo de postagens nada amigáveis de Belão, que sugeriu problemas nas contas de Wilker quando este foi presidente da Câmara Municipal de Manaus e de Normando Bessa, prefeito de Tefé e irmão de Carlinhos.

7º – Depois de ver que seu “motor” não ia seguir viagem, Belão tentou pegar carona no “navio” adversário. E quis ir de “camarote”, ou seja, queria a 1ª vice-presidência. Entretanto, o Grupo dos 17 não aceitou a presença do “decano” na embarcação.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.