Amazonas Brasil Colunas Economia Negócios

Como vender para a China sem ter que ir à China – por Milton Pomar

Milton Pomar: vender para a China no Panamá, participando do 13º Encontro Empresarial China/ América Latina e Caribe ocorrerá em outubro – foto: divulgação
Redação
Escrito por Redação

Quem quer vender para a China e não se anima a ir até lá, terá em outubro (22 a 24) desse ano uma oportunidade única: o 13º Encontro Empresarial China – América Latina e Caribe, na cidade do Panamá.

Deverão participar do evento mais de 500 empresas chinesas e outros 400 dos países da America Latina e Caribe , principalmente México, Argentina, Chile, Uruguai, Equador e Brasil todas muito interessadas em vender, comprar e investir.

As chinesas vendem de tudo e, em geral, compram de nós o que sempre mais lhes interessa: alimentos e matérias-primas, madeiras, minérios e turismo ecológico. As companhias latino-americanas têm mais opções de compras e menos de vendas.

Quanto a investimentos, quem tem “bala na agulha” são mesmo as empresas da China, cujo leque de interesses e possibilidades felizmente é bem mais diversificado: indústrias de vários segmentos, energia, mineração, agropecuária, infraestrutura (portos, ferrovias, VLT, aeroportos, portos e etc).

No dia 28 de março, farei uma palestra em Manaus com o tema “Amazonas & China 2020 – Demandas e Oportunidades de Negócios: Agropecuária, Turismo, Madeira e Mineração”, nessa palestra irei explicar melhor como os empresários do Amazonas poderão participar do 13º Encontro Empresarial China e Paises Latinos Americanos e Caribe, em Panamá, 22 a 24 de outubro de 2019

Está confirmado o evento nos sites dos ministérios de relações exteriores e de indústria e comércio do Panamá. Na versão em inglês do site do China Council for the Promotion International Trade (CCPIT), órgão do governo responsável pela promoção do lado chinês, constam as informações sobre o “The 12th China-LAC Business Summit”, ocorrido no ano passado, na cidade de Zhuhai, na província de Guangdong, no sul da China.

Quem se interessar em participar desse evento no Panamá, para vender para empresas chinesas, deve se preparar como se fosse para a China, ou seja, deve levar os materiais promocionais da empresa e dos seus produtos e serviços (ou do empreendimento para o qual busca investimento) em mandarim. Um audiovisual sobre a empresa com locução em mandarim costuma agradar, principalmente se for curto, não mais que cinco minutos.

Já estou articulando comitivas empresariais e governamentais em alguns estados brasileiros, apresentando com palestras as demandas da China e oportunidades de negócios e intercâmbios com o país, e as características desse encontro empresarial, que requer um investimento bem menor para entrar no mercado chinês, com a vantagem adicional de se poder falar em espanhol.

Nesse momento de tantas incertezas sobre o futuro das relações comerciais entre o Brasil e a China, o melhor é trabalhar para não perdermos o nosso maior cliente.

Participe da palestra Amazonas & China 2020 -Demandas e Oportunidades de negócios, dia 28 de março e terá mais informações sobre o evento.

*Milton Pomar é um Profissional em Marketing, que trabalha com a China desde 1997

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.