Conselheira: pais deixaram menino em presídio porque estavam cansados

Segundo eles, menino não queria voltar andando para a casa/Foto: Divulgação

Os pais do menino de 12 anos encontrado dentro da cela de um preso acusado de pedofilia e estupro de vulnerável, no Piauí, contaram ao Conselho Tutelar que deixaram a criança na penitenciária porque eles estavam muito cansados e o menino não queria voltar andando para a casa. O caso aconteceu no último sábado (30) na Colônia Agrícola Major César de Oliveira, na cidade de Altos, na região metropolitana de Teresina.

Como publicado pelo “G1”, ainda com informações da conselheira, os pais contaram que o preso é amigo da família e que voltariam para buscar o filho no dia seguinte. “Eles são de situação vulnerável e foram a pé visitar esse amigo. Relataram que é uma caminhada muito longa e todos estavam cansados, não iam ter como levá-lo, teriam que ir a pé. O adolescente disse que ele mesmo pediu para ficar”, disse a conselheira.

Ainda segundo a conselheira Nazaré Castelo Branco, o menino nega ter sido abusado do detento. “A fala do adolescente prevalece e em depoimento ele relata que não aconteceu coisa nenhuma, que estava lá assistindo filme. A mãe do menino ia levar ele para casa no dia seguinte quando voltasse ao presídio para lavar as roupas desse preso”, disse.

Segundo eles, menino não queria voltar andando para a casa/Foto: Divulgação

Contudo, o delegado Jarbas Lima, que investiga o caso, explicou que mesmo com o exame negativo de conjunção carnal, não está descartada a hipótese de estupro a vulnerável.

“Há vários outros tipos de abuso que podem ter acontecido e vamos apurar se até mesmo os pais participaram de alguma transação para favorecer isso, algum aliciamento. Os pais inicialmente podem responder por abandono de incapaz e pelo artigo 232 do código penal, que é submeter criança ou adolescente a situação de constrangimento, mas somente depois de investigarmos é que vamos saber como tudo aconteceu de fato.”

Fonte: Notícias ao Minuto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui