Corecon/AM alerta para a antecipação bancária do Imposto de Renda

Declaração e a antecipação da restituição/Foto: Divulgação

Declaração e a antecipação da restituição/Foto: Divulgação
Declaração e a antecipação da restituição/Foto: Divulgação

O prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) iniciou este mês, e com ele, aparecem as facilidades das instituições bancárias para a antecipação da restituição do tributo. Apesar das facilidades de adesão, o procedimento é uma modalidade de empréstimo pessoal, e traz consigo riscos de endividamentos ou outros tipos de problemas financeiros futuros, como alerta o Conselho Regional de Economia (Corecon/AM).
De acordo com o presidente do conselho, Marcus Evangelista, dependendo do banco, os juros desse tipo de crédito pode variar de 1,99% a 3,39% ao mês. Contudo, Evangelista e o consultor econômico Marcelo Laredo apontam três principais questões que precisam ser analisadas pelo consumidor caso precise utilizar o dinheiro antes da liberação dos lotes de restituição da Receita Federal, que vai de junho até dezembro. “A antecipação do IR é um empréstimo e como todo empréstimo exige cuidados”, disse Evangelista.

O principal cuidado apontado pelo especialista é o cálculo da restituição. “Aconselhamos o contribuinte a ter o auxílio de um profissional, porque se errar no valor da restituição, o empréstimo tomado com base nela poderá trazer consequências complicadas para a vida financeira já que o valor pago pela Receita pode ser menor que o emprestado pelo banco, além dos juros”, explicou Evangelista.

Outro membro do Corecon/AM, o consultor econômico Marcelo Laredo diz que o contribuinte que for antecipar o IR também deve ter atenção redobrada com as informações colocadas na declaração ao ‘Leão’. “Isso diminui o risco de cometer erros e ter de enviar uma declaração retificadora, o que pode fazer a restituição ser paga mais tarde”, completou Laredo, lembrando que quanto mais tempo a restituição demorar para sair, mais tempo o consumidor vai pagar juros para o banco pelo empréstimo.

A terceira cautela citada por Laredo é a importância de o cliente perguntar do banco qual procedimento será adotado caso ele caia na malha fina. “Algumas instituições impõem, como limite de prazo desses contratos, o mês de dezembro. Nesse caso, mesmo que o cliente não tenha recebido a restituição até lá, ele terá de quitar o empréstimo”, completou Marcelo Laredo.

Concessão limitada

Geralmente, os bancos oferecem o serviço de antecipação do IR apenas para clientes. Eles precisam indicar aquela instituição financeira como destino do depósito da restituição (informação que deve ser dada no preenchimento da declaração). O pagamento desses empréstimos é feito de uma só vez, quando a restituição é depositada pela Receita Federal, por meio de débito automático na conta.

As taxas divulgadas pelos bancos para esses empréstimos são menores do que aquelas cobradas em outras linhas de crédito. “Segundo a Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), os juros do empréstimo pessoal ficaram em 3,75% ao mês em janeiro; no cheque especial, a taxa média foi de 9,14% mensais”, apontou o presidente do Corecon/AM, Marcus Evangelista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui