Coronel Orleilson quer emprestar conhecimento para a sinalização da AM-10

Coronel Orleilson Guimarães, na inauguração da Secretaria de Segurança de Rio Preto da Eva - foto: Erlan Roberto

Com o anúncio do dia de escolha da empreiteira que vai realizar as obras de revitalização e modernização dos 265 Km da Rodovia AM-10, a começar do município de Itacoatiara, o Secretário de Segurança Pública de Rio Preto da Eva, Orleilson Guimarães, anuncia também, que vai emprestar o seu conhecimento em fiscalização e sinalização do trânsito conquistado na época que era Diretor do Detran-AM e comandante da Polícia Militar do Amazonas, no momento que as obras entrarem no perímetro do município de Rio Preto da Eva.

É uma atuação extraoficial, mas ele garante que é importante porque na condição de secretário de Segurança Pública, na gestão do prefeito Anderson Sousa, ele pode garantir que os serviços de sinalização estejam adequados, com pistas seguras e que Rio Preto da Eva tenha um dos trechos de rodovia mais seguro do Amazonas.  Anderson Sousa foi um dos precursores das obras junto ao governador Wilson Lima.

Cel. Orleilson Guimarães, Cel. Hélcio Mota, Cel. Ossusosk Medeiros, Luiz Henrique Ossusosk Filho, nos idos dos anos 80 – foto: arquivo/PM

O coronel Orleilson Guimarães, foi diretor do Departamento de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) no governo de Gilberto Mestrinho, Comandante da Polícia Militar no governo de Amazonino Mendes, secretário municipal de Trânsito de Alfredo Nascimento, atualmente, com 76 anos e se dizendo bem de saúde, é secretário municipal de Segurança de Rio Preto da Eva.

Segurança municipalizada

Na área da Segurança das cidades, Orleilson propõe que elas sejam municipalizadas. Segundo ele, a proposta foi discutida no Encontro de Secretários das Guardas Municipais do Amazonas, em Rio Preto da Eva, onde os secretários chegaram à conclusão que a implantação da municipalização da segurança, só vai gerar benefícios tanto para o efetivo, para a população, como também, para o poder municipal.

Ou seja, o Estado entraria com os equipamentos e apenas 30% da folha de pagamento do efetivo e liberaria para que os prefeitos tomassem conta da sua segurança. “Atualmente os prefeitos não mandam na sua segurança. Aparece um comandante do destacamento que quer trabalhar com o prefeito, tudo bem, mas quando aparece um contra, ele não coloca o policiamento nas ruas”, explica Orleilson.

Cel. Orleilson Guimarães falando à tropa, diante do prefeito Anderson Sousa, Sec. Soraya Souza e staff da prefeitura – foto: Erlan Roberto

Por outro lado, acentua o secretário, a Força Estadual atuaria apenas para atender às emergências municipais. A vantagem apontada por ele, é que os guardas municipais seriam instruídos e formados no próprio local de residência. “Tudo começa no próprio município e a Guarda Municipal teria elementos conhecedores das suas comunidades”, aponta.

Prefeitos

A proposta central de toda essa discussão é a de dar autonomia ao prefeito para que ele tome conta da sua própria segurança.  De comandar a sua segurança sem os ressaltos, geralmente, sofridos com as mudanças políticas estaduais e de segurança no comando geral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui