Cresce a produção de Fake News em torno do caso Alejandro Valeiko

Seap nega que homem chamando a mãe em presídio seja Alejandro - foto: arquivo/recorte

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) negou a veracidade do vídeo que circula na internet referente a Alejandro Valeiko no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM1). A gravação é uma Fake News.

As imagens, que viralizaram na internet, mostram a parte externa de uma cela onde supostamente Alejandro estaria chamando pela mãe, a primeira-dama Elisabeth Valeiko. Para interlocutores, é estranha a forma como estão tentando colar os acontecimentos ao momento político das pré-candidaturas municipais.

As várias publicações Fake News em torno do caso sobram em número e criatividade, “mas é de fácil percepção o direcionamento que estão querendo dar ao caso. De certeza, político”, observa o internauta Cláudio Soares, do bairro Alvorada.

Nota Seap

Em nota, a Seap disse apenas que a “imagem não procedia” sem afirmar se teria apurado o fato ou aberto algum procedimento investigativo para descobrir se o vídeo foi ou não feito dentro da unidade prisional.

Caso tivesse sido gravado, isso implicaria em um processo administrativo, uma vez que aparelhos celulares não são permitidos dentro das dependências do presídio, nem por detentos e nem por agentes penitenciários.

“Como lá é Umanizzare, com certeza o agente seria demitido. Ele passaria por um processo administrativo antes da demissão porque apesar de ser terceirizado, ele está exercendo uma função pública. Nós advogados também não podemos usar celular. Celular lá é terminantemente proibido” explicou o advogado Gabriel Machado.

Já o preso sofreria diversas penalidades como perder o direito ao banho de sol, interromper a contagem da progressão de regime, regime disciplinar diferenciado, entre outras.


3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui