Juiza ‘copia e cola’ absolve pagador de propina a procurador da república de Curitiba

Juíza do copia e cola absolveu Doleiro Dario Messer, que teria pago propina a procuradores de Curitiba – foto: arquivo/recorte

Dario Messer foi alvo de um capítulo inteiro na CPI do Banestado, em 2004. Dezenas de depoimentos descreveram seus crimes mas procuradores de Curitiba se recusaram a investigá-lo.

Entre os procuradores envolvidos, estavam Dallagnol, Orlando Martello Junior e Januário Paludo (acusado de receber propina de Messer).

A juíza que copia e cola processos de outros procuradores, Gabriela Hardt, que hoje julga processos da Lava Jato no Paraná e já condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), absolveu Messer em agosto de 2016.

Sobre os depoimentos e o relatório da CPMI do Banestado só foram usados contra Messer numa ação penal depois que o MPF-RJ (Ministério Público Federal do Rio de Janeiro) o denunciou em 2009 por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e evasão.

Seu advogado percebeu que duas contas investigadas no Rio eram as mesmas já investigadas no Paraná. Foi ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) e conseguiu em 2013 que parte do processo de Messer fosse transferido dos tribunais fluminenses aos paranaenses.

O procurador da República Alexandre Melz Nardes assumiu o caso. Ele reavaliou as citações de Messer no caso Banestado. Concluiu que Messer deveria ser absolvido.

Baseada nessa recomendação, a juíza copia e cola Gabriela Hardt, absolveu Messer em agosto de 2016.

247

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui