Crianças brilham na 1ª Copa Alvorada Kids de Jiu-Jítsu

Fotos: Antonio Lima/Sejel

O Ginásio Poliesportivo do Amazonas recebeu neste sábado, 19, a Copa Alvorada Kids de Jiu-Jítsu, que fez do complexo um verdadeiro parque de diversões para 465 competidores de 2 até 17 anos. Personagens infantis, como Galinha Pintadinha, Mickey, Luna, árbitros com vestimentas que lembravam mágicos, brinquedos, pipoca, e balões que conceberam o cenário perfeito para muitos sentirem pela primeira vez o gostinho de disputar um torneio. O evento contou com o apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).
Um dos mais animados ao ser premiado com a medalha de ouro pela Copa era Miguel Alves, 5 anos. O faixa branca iniciou no esporte há um ano, faz parte do projeto da Nova União Kids, que fica no Alvorada, e revelou sua parte preferida da competição. “Eu gostei muito de hoje, da minha medalha, dos meus amigos, mas amei mesmo encontrar com a Luna. Ela me abraçou e tirei uma foto com ela. Estou muito feliz”, disse o pequeno, que contou com a torcida do pai, Alírio Neto, e do tio Alilson Moura.

“Essa competição está linda, tenho certeza que todas essas crianças vão guardar com muito carinho cada momento vivido aqui. O Miguel, então, nem se fala. Não poderia estar mais feliz e ficamos orgulhosos da vitória dele, pois colocamos ele no Jiu-Jítsu com intuito de ele adquirir mais disciplina. Ele era muito hiperativo e depois de um ano já conseguimos ver uma mudança de comportamento, uma criança mais calma e responsável”, destacou o pai coruja.

Fotos: Antonio Lima/Sejel

Outra que também transparecia alegria era a pequena Elaine Lima, de 4 anos. A faixa branca já é conhecida das competições e sempre está no pódio. Apesar da pouca idade, iniciou no esporte aos dois anos, por influência da irmã Enaile Guerreiro, 7, que também pratica a arte suave, e que também foi ouro pela Copa Kids. Segurando a medalha, o pirulito e o balão, a pequena comemorava mais uma conquista para a coleção.

“Eu tenho muitas medalhas, gosto muito de Jiu-Jítsu e hoje ainda ganhei balão e pirulito. Depois vou brincar nos brinquedos e estou muito feliz, porque foi difícil a luta”, disse ela, que se destacou após uma finalização. Para a mãe da jovem, Eliane Guerreiro, a participação da filha nos torneios vem colaborando para a atleta ganhar experiência e participar ano que vem do Mundial.

Elaine Lima Fotos: (Antonio Lima/Sejel)

“Ela começou muito novinha e gosta muito do esporte. Fica ansiosa para as aulas e para competir. Ela está em todas as disputas para a idade dela e ano que vem quero que ela faça o Pan Kids, que é o Mundial para os mais novos, e tenho certeza que ela já vai estar mais madura e terá chances de vencer”, destacou a mãe.

PCDs

A Copa Alvorada Kids de Jiu-Jítsu também apresentou a categoria Pessoas com Deficiência (PCDs) e quem saiu de lá representando muito bem a classe foi Fabíola Barroso, de 23. A portadora de Síndrome de Down começou em 2016 a praticar o esporte, com o intuito de perder peso. Na época, estava com 80 quilos, e com atualmente sete a menos, mostrou habilidade no evento e ganhou após uma chave de braço bem encaixada.

José Adrian Fotos: (Antonio Lima/Sejel)

“A luta foi rápida, peguei o braço dela, mas eu estava bem nervosa. Estou bem feliz e aqui está bem bonito, cheio de desenhos e eu queria que as competições fossem sempre assim”, disse Fabíola, acompanhada da irmã Fabiana Oliveira, 22, que estava orgulhosa da ‘mais velha’.

“Meu pai colocou a Fabíola no Jiu-Jítsu, na Nova União, porque lá tem um projeto voltado para PCDs e foi algo maravilhoso. O esporte vem ajudando ela, principalmente a perder peso, pois não queremos que ela tenha outras doenças, queremos afastar o diabetes, a depressão, a obesidade. Fiquei muito orgulhosa dela hoje e ela não parava de falar nessa Copa”, frisou Fabiana.

O jovem José Adrian, portador de mielomeningocele (defeito congênito que afeta a espinha dorsal), também se deu bem pela Copa ao finalizar o adversário. Assistido pelo pai Jorge Adriano Nery, que é mototaxista; e pelo irmão Vitor Nery, que é faixa laranja, o paratleta fez jus à família que tem tradição no esporte.

“A maioria da minha família faz Jiu-jítsu. Eu já fiz, o irmão dele faz, minha irmã, o tio (Hudosn Nery) mora no Rio de Janeiro e está construindo carreira lá e ele está também nesta trajetória bonita. Muita gente pensa que pela deficiência, ele não conseguiria fazer o esporte, mas pelo contrário. A arte suave dá essa liberdade e estou muito contente e emocionado de ver meu filho participando da primeira competição dele, de muitas que vão vir pela frente”, disse Adriano.

Balanço

Para a organizadora do evento, Karina Dias, a Copa está cumprindo seu objetivo e a ideia é torná-la tradicional. “Pensamos em cada detalhe, desde os brinquedos, aos personagens infantis, tudo para que esse dia fosse inesquecível. Ficamos supressos com o número de inscritos e queremos que este evento se torne presente no calendário esportivo. Mais de 400 crianças participando e a certeza que todos eles estão sendo bem formados”.

Fotos: Antonio Lima/Sejel

Prestigiando o evento, inclusive o embate amigável entre a Galinha Pintadinha x Mickey, onde prevaleceu a astúcia da Galinha, o titular da Sejel, Fabricio Lima, elogiou a ação e afirmou que a Sejel já pensa nas próximas edições.

“Estou muito orgulhoso e feliz deste verdadeiro espetáculo que está sendo a Copa Alvorada Kids de Jiu-Jítsu. Diferente do que a gente já viu, a competição traz tudo o que os pequenos gostam e hoje aqui eles aprendem o significado de ganhar e perder com respeito, e a importância de participar. Todos estão se sentido acolhidos, motivados e parabenizo a mestre Karina Dias por todo esforço e competência. Um evento que leva o nome do bairro Alvorada, celeiro de lutadores, não poderia ser diferente e nossa intenção na Sejel é sempre apoiar eventos que contribuem para a formação dos atletas”, disse Lima.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui