Deputado Lins apresenta moção aos Poderes Públicos pela reabertura da Santa Casa

Deputado Belarmino Lins apresenta moção pela reabertura da Santa casa/Foto: Arquivo

Deputado Belarmino Lins apresenta moção pela reabertura da Santa casa/Foto: Arquivo
Deputado Belarmino Lins apresenta moção pela reabertura da Santa casa/Foto: Arquivo

Subscrita pela expressiva maioria dos deputados, o vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Belarmino Lins (PMDB), apresentou uma moção de apelo ao governador José Melo (PROS) e ao prefeito de Manaus, para que envidem esforços em favor da reabertura da Santa Casa de Misericórdia que, nos últimos dias, tornou-se tema constante de discussão na opinião pública manauara e nas casas legislativas.

Belarmino declarou-se convencido da urgência que tem a Assembleia Legislativa de abraçar a defesa da reabertura da Santa Casa, daí solicitar que os governos do Estado e do município assumam a bandeira da reativação das atividades daquele hospital em respeito à sua história centenária e às demandas da população amazonense na área da saúde.

Fechado há 10 anos por força da má gestão administrativa e envolvido em séria crise financeira, Belarmino entende que a própria comunidade empresarial, liderada pela Federação das Indústrias do Amazonas (Fieam), pode se engajar nesta luta junto com os poderes públicos estadual e municipal na defesa de uma instituição que, infelizmente, encontra-se às voltas com uma dívida que beira os 27 milhões.

Ele citou como exemplo do esforço a ser desenvolvido a iniciativa do Governo do Estado do Pará, que interveio na crise por que passava a Santa Casa de Belém, evitou o seu fechamento e, hoje, o hospital encontra-se em pleno funcionamento.

Apesar de reconhecer que não é tarefa das mais simples a reabertura da Santa Casa de Manaus, o deputado Belarmino Lins mostrou-se confiante na sensibilidade do governador José Melo, do prefeito Arthur Neto e do empresariado amazonense no sentido de encontrarem uma solução satisfatória para um problema que se arrasta por uma década, enquanto crescem as demandas da população no setor de saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui