Em seis anos de atividades, Feirão da Sepror consolida parceria com produtor

Feirão da Sepror, seis anos de atividades/Foto: Arquivo

Feirão da Sepror, seis anos de atividades/Foto: Arquivo
Feirão da Sepror, seis anos de atividades/Foto: Arquivo

Em seis anos de funcionamento, o Feirão da Sepror, localizado no Parque Eurípedes Ferreira Lins, Torquato Tapajós, na Zona Norte de Manaus, ampliou em quase 90% o número de produtores atendidos, consolidando o modelo pioneiro na capital, de agricultura familiar, que aproxima o produto do consumidor, garantindo renda na zona rural e preços acessíveis na cidade.
Em 2009, quando o Feirão foi fundado, eram 60 famílias produtoras. Atualmente, uma média de 500 comercializam a produção no local, segundo o presidente da associação dos produtores, Antonivaldo Souza. “Esse é um número consolidado, afetado apenas por conta da cheia. Ainda assim, conseguimos manter a média de produtores oferecendo seus produtos diretamente ao consumidor”, explicou.

Indiretamente, são mais de 1,5 mil famílias beneficiadas, número que triplicou nos últimos dois anos, segundo a Associação de Produtores. De acordo com Souza, trata-se das que comercializam a produção por meio de cooperativas.

Na última sexta- feira (1°), o Feirão da Sepror completou seis anos em um evento realizado pela Associação Vida Verde, com programação para produtores e clientes do feirão, iniciada no último dia 29. Exposição de  bens utilitários e equipamentos; missa aberta; bandas gospel, sertaneja e de forró da capital e dos municípios de Presidente Figueiredo e Rio Preto da Eva; além de um bolo de seis metros, foram as atrações da festa.

“Os produtores comemoram o avanço obtido esse período em diversos segmentos da cadeia produtiva do Amazonas. Fico feliz por estarmos conseguindo ampliar o número de municípios participantes que hoje fica na média de 14”, afirmou o presidente da associação de produtores, Antonivaldo Souza.

“O Feirão da Sepror foi fundado com o objetivo de promover a comercialização direta dos produtores aos consumidores. Éles conseguem vender por um valor maior do que se fossem passar por atravessadores que oneram o preço final. Não é por acaso que o local conta, hoje, com um público consolidado de 25  mil consumidores toda semana”, afirmou o secretário de estado de Produção Rural e Sustentabilidade (Sepror), Sidney Leite, que esteve presente no encerramento do evento, na última sexta-feira (1°).

A produtora Leonice Cardoso do Ramal do Pau Rosa, no Km 21 da BR-174, trabalha a agricultura com adubo é orgânico e participa da feira desde o início da fundação. Entre os produtos oferecidos por ela estão rambutã, couve, alface verde e roxo, pimenta de cheiro, maxixe, leite, biribá e rúcula. “Saber que o alimento que produzo vai para a mesa de muita gente me dá orgulho”.

A feira funciona semanalmente a partir de quarta-feira, de 07h00 às 22h00. No domingo, o atendimento vai até o meio dia. No local são encontrados produtos que vão de hortifruti e pescado, além de carnes, aves e artesanatos, tudo a um preço mais baixo, uma vez que os produtos são vendidos diretamente ao consumidor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui