Empresas de ônibus anunciam demissão de 1.500 motoristas e cobradores em Manaus

Além dos 1.500 demitidos, outros 2.000 vão esperar a crise do Covid-19 passar, em casa - foto: AC

O sistema dos transportes urbano de Manaus decidiu que vai demitir 1.500 motoristas e cobradores e mandar 2.000 deles para casa, sem salários e nenhum benefício até que passe a crise do coronavírus.

A decisão dos empresários foi anunciada a dois diretores do Sindicato dos Rodoviários, o presidente da categoria, Élcio Campos e o vice Josenildo Silva (Mossoró), agora a pouco.

A demissão dos 1.500 trabalhadores do sistema tem como base a diminuição drástica de 60% no número de passageiros e a queda de arrecadação das empresas.

O sindicato vai realizar uma assembleia virtual, hoje (27), às 16h30, para tomada de decisão. A princípio, o presidente Élcio Campo disse que vai esperar o resultado da assembleia.

As demissões estão previstas para acontecer a partir de segunda-feira (30). Até lá, os rodoviários já terão definido uma contra proposta ou enfrentamento aos empresários.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui