Empresas vencedoras investem em gestão, diz presidente executivo da FNQ

Vice-presidente Jairo Martins, do FNQ/Foto: Divulgação

Empresas precisam investir numa boa gestão para ser competitivas, com o aumento de sua produtividade, conceito baseado em fazer mais e melhor, mais barato e mais rápido, e prezar pela ética. A sugestão foi feita ontem pelo presidente executivo da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), Jairo Martins, no evento de lançamento da 24ª edição do Prêmio Qualidade Amazonas, na Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM).
Martins destacou a importância da utilização do Modelo de Excelência da Gestão nas organizações. “Toda organização é responsável por um processo de transformação de recursos para a entrega de valor à sociedade e essa entrega é realizada com excelência se sua gestão for sistêmica”, defendeu.

“O processo de execução dessa transformação de recursos passa pela gestão da liderança que se não for bem planejada e monitorada haverá erros. O instrumento de gestão permite a harmonização da situação de risco e deficiências para que se façam boas entregas”, explica o presidente executivo da FNQ.

Vice-presidente Jairo Martins, do FNQ/Foto: Divulgação

Na avaliação de Martins, sucesso e fracasso têm relação de causa e efeito, sendo assim, “eliminada a causa, desaparece o efeito e isso pode ser eliminado com a implantação dos princípios da boa gestão que estão disponíveis de graça e que depende apenas da iniciativa do gestor de usá-los”.

O primeiro vice-presidente da FIEAM, Nelson Azevedo, ressaltou que o PQA, programa coordenado pelo Departamento de Assistência à Média e Pequena Indústria (DAMPI), tem sido um dos indicadores de gestão da qualidade no Amazonas e que vem compartilhando com a sociedade as melhores práticas utilizadas pelas organizações no Estado.

“O PQA tem por objetivo premiar os processos que evidenciam os esforços de organizações em prol da qualidade e produtividade na busca permanente da excelência. Ainda busca a utilização de ferramentas e metodologia para avaliação da gestão nas organizações dos setores privados e públicos”, disse Nelson Azevedo.

A Brasil Norte Bebidas, empresa do Grupo Simões, é um exemplo de organização que participa do PQA e que possui gestão de excelência, mobilizando toda a força de trabalho no compromisso de estar em constante elevação do nível de qualidade dos processos, produtos e serviços, visando o aumento da competitividade.

A especialista de processos da empresa, Kelen Amaral, revela que há quatro anos consecutivos a Brasil Norte Bebidas conquista o troféu ouro em 1º lugar, com a maior pontuação, mas que desde 2010 participa do PQA. Dentre as inúmeras iniciativas para promover a qualidade, Kelen destaca os pequenos projetos de melhorias, chamados de Kaizen.

“Essas iniciativas pequenas trazem grandes retornos para a empresa. Para se ter uma ideia, neste ano já implementamos 25 Kaizens que renderam para a organização mais de R$ 6 milhões e apenas um projeto teve investimento no valor de R$ 35 mil com retorno de R$ 360 mil no primeiro mês”, explica a especialista de processos da Brasil Norte Bebidas.

Em 2017, a organização competirá na modalidade processo, categoria inovação, dando ênfase à sustentabilidade. “Vamos apresentar uma nova garrafa pet, mais leve para o mercado, com menos consumo de pet. A garrafa foi lançada em meados de 2016 e em 2017 estamos em melhoria de processo”, informa Kelen Amaral.

Participaram do lançamento do PQA 2017 o comandante do 9º Distrito Naval, vice-almirante Luis Antônio Rodrigues Hecht, comandante da 12ª Região Militar, general Antônio Maxwell de Oliveira Eufrásio, organizações públicas e privadas e convidados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui