Entenda a importância do Dia da Consciência Negra

Dandara esposa de Zumbi dos Palmares - Imagem: Reprodução

Em 20 de novembro, o Brasil celebra o Dia da Consciência Negra. Apesar do dia ser constantemente atrelado à figura de Zumbi dos Palmares, há ainda mais história por trás da criação desta data. Vamos conhecer?

O objetivo do dia da Consciência Negra é, dentre outros, despertar a sociedade para refletir sobre a presença das pessoas negras dentro dela e sobre a democratização da sua inserção nos mais diferentes setores sociais e econômicos de forma justa e igualitária.

A definição desse feriado foi o resultado de muito debate e esforço do Grupo Palmares, na década de 70, em Porto Alegre, no sul do Brasil. O grupo, formado por jovens universitários e militantes da cultura negra, se reuniu pela primeira vez em 1971 e discutiu a problemática da data 13 de maio, que comemora a abolição da escravidão. Eles lembravam que a data era muito mais focada em homenagear Princesa Isabel e citavam até mesmo que, nas escolas, crianças negras eram ridicularizadas nas comemorações.

Dandara esposa de Zumbi dos Palmares – Imagem: Reprodução

Zumbi dos Palmares

O dia 20 de novembro foi escolhido pelo Grupo Palmares por ser a data da morte de Zumbi dos Palmares. Zumbi foi um dos principais líderes quilombolas no Brasil e seu nome foi primordial na luta contra a escravidão.

Além de Zumbi, outros nomes foram estudados e citados pelo Grupo Palmares, como Ganga Zumba, o primeiro líder do Quilombo dos Palmares, e Dandara, esposa de Zumbi dos Palmares, que lutou ao lado Zumbi e de outros escravizados até a tomada dos Palmares.

O Dia da Consciência Negra

Com sua criação, a data de 20 de novembro nasceu não apenas como uma homenagem, mas também como um dia para se estudar, refletir sobre a importância dos negros na história do Brasil e debater questões como racismo e inclusão dos negros na sociedade pós escravidão.

Por isso, apresentamos grandes personalidades negras e alguns materiais para que você fique ainda mais consciente da importância dessa data. Confere só:

5 personalidades negras históricas do Brasil

Carolina Maria de Jesus

Filha de pais analfabetos, Carolina Maria de Jesus (1914-1977) foi uma das escritoras mais importantes da história do Brasil. Catadora de papel, iniciou suas produções literárias retratando os bastidores do cotidiano em favelas. Um dos relatos deu origem ao best seller Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada, publicado em 1960. Seu trabalho abriu caminho para outros autores negros e provocou debates sobre desigualdade social e racial em nosso país.

Machado de Assis

Considerado por muitos o maior nome da literatura brasileira, Machado de Assis (1839-1908) introduziu o Realismo no Brasil. Filho de pais pobres, descendente de escravos e autodidata, começou a sua carreira como jornalista. Suas obras exploram a metalinguagem, ironia e intertextualidade. Com viés fortemente crítico, Machado de Assis ironizava os valores burgueses e a hipocrisia da elite carioca, estimulando problematização sobre a hierarquia social existente.

Mano Brown

Pedro Paulo Soares Pereira, mais conhecido como Mano Brown, é um dos integrantes do grupo de rap Racionais MC’s e um dos maiores compositores brasileiros da atualidade. Suas músicas, carregadas de críticas sociais, problematizam a violência urbana e trazem à tona temáticas de direitos humanos e racismo estrutural. Em 2008, foi considerado pela revista Rolling Stone como uma das 100 maiores artistas da música brasileira.

Antonieta de Barros

Primeira parlamentar negra da história do Brasil, Antonieta de Barros (1901-1952) foi pioneira na luta contra a discriminação racial e das mulheres. Atuou como jornalista e escritora, sendo militante ativa em prol da educação pública e da emancipação feminina. Homenageada com a Medalha Antonieta de Barros, que reconhece relevantes serviços em defesa dos direitos da mulher catarinense, abriu caminhos para as mulheres expressarem mais suas opiniões políticas.

Rene Silva

Rene Silva é um jovem jornalista de 24 anos, considerado um dos negros mais influentes do mundo pela Mipad (Most Infuential People of African Descent). Ficou conhecido por narrar no Twitter a ocupação do Complexo do Alemão e fundar, aos 11 anos, o jornal comunitário “Voz das Comunidades”. É apontado como uma das figuras que mais dão voz às favelas e promovem um retrato humanitário das mesmas.

Fonte: Passei Direto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui