Entregador de farmácia morre ao ser atingido com linha de cerol no Zumbi

Foto: Reprodução

Daniel da Silva Rodrigues, 20, morreu após ter seu pescoço cortado por uma linha de cerol, na Alameda Cosme Ferreira, bairro Zumbi, Zona Leste de Manaus.

Daniel estava trabalhado como entregador de medicamentos quando acabou sendo atingido por uma linha de papagaio que estava com cerol.

Após cair ao chão, o jovem pediu ajuda a uma equipe da Polícia Militar, que passava no local. Daniel estava se preparando para fazer uma nova entrega quando sentiu a linha cortando seu pescoço.

Os policias prestaram socorro e o levaram para o Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, onde ele foi reanimado pela equipe médica.

Uma morte bárbara provocada pelo descaso das autoridades e uma linha de cerol – foto: popular/recorte

O jovem acabou não resistindo ao corte, morrendo no Hospital e Pronto Socorro João Lúcio. Daniel deixa um filho recém-nascido, de três meses de idade.

Projeto de lei

Não tem um mês, o portal Correio da Amazônia publicou uma nota falando de um Projeto de Lei em Minas Gerais, que tenta proibir esta atividade no Estado (link abaixo):

Campanhas e Projeto de Lei tentam proibir ‘linha de cerol’ para soltar pipas

A PL não chegou no Amazonas

Há quem utilize, para soltar Pipas, a linha chilena ou o cerol – mistura que contém pó de vidro – capaz de cortar facilmente membros e pescoço de uma pessoa.

Em Minas Gerais, a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) lançou, recentemente, a segunda edição da campanha on-line “A Vida por um Fio”. O objetivo, segundo o subsecretario de Inteligência e Atuação Integrada, Christian Vianna de Azevedo, é alertar a população sobre os riscos dessa prática, além de incentivar a denúncia da fabricação e comercialização ilegal desses materiais.

Por Correio da Amazônia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui