Escolinhas de iniciação esportiva da Vila Olímpica reabrem inscrições

Escolinha de natação na FVO/Foto: Divulgação

Escolinha de natação na FVO/Foto: Divulgação
Escolinha de natação na FVO/Foto: Divulgação
...depois das instruções, à prática/Foto: Divulgação
…depois das instruções, à prática/Foto: Divulgação

Estão reabertas, a partir de hoje, quinta-feira (30), os testes para novos alunos na modalidade de natação, na Fundação Vila Olímpica de Manaus, uma medida que visa atender a grande procura por inscrição nas escolinhas de iniciação esportiva do complexo que, desde o início do ano, apesar de ter disponibilizado 2,5 mil vagas, em 12 modalidades desportivas regulares, destinadas a estudantes e à comunidade em geral.
Até meados de 2014, aproximadamente, 800 alunos estavam regularmente matriculados, mas esse número triplicou e levou a FVO a aumentar a oferta de vagas. A natação, por exemplo, que funciona de segunda a sexta-feira, ganhou nova turma, no horário das 16h15 às 17h (ver quadro abaixo).

O presidente da instituição, Aly Almeida, voltou a ressaltar que os principais objetivos das escolinhas desportivas são o fomento aos esportes olímpicos e a identificação de novos talentos para representar o desporto amazonense e brasileiro.

Os testes da natação ocorrem entre 6h e 10h, e 14h e 16h desta quinta-feira. Os interessados precisam estar no local de maiô escuro (mulheres) e sunga (homens). Na piscina semiolímpica eles terão de atravessar 12,5 metros sem pisar no chão ou segurar nas raias. Os aprovados serão encaminhados para o setor de matrícula, que funciona no próprio parque aquático da Vila Olímpica.

Cada teste é realizado na última quinta-feira do mês. Outros quatro estão programados para este ano, em maio, julho, agosto e setembro.

“Como a procura tem sido grande, tivemos que dar uma temperada com a criação dessa turma extra, para que o desenvolvimento do trabalho seja bem melhor”, justificou o coordenador das escolinhas, professor Everardo Rezende.

As outras modalidades que oferecem vagas para novos alunos são o atletismo, basquete, futsal, polo aquático, handebol, tênis de mesa, judô, luta livre olímpica, arco e flecha, boxe e ginástica rítmica.

Também são disponibilizadas natação e caminhada orientada, com acompanhamento técnico para a comunidade em geral. A primeira é destinada a pessoas a partir de 18 anos e a caminhada é a única modalidade que não tem limite de vagas.

“Não faltam vagas nas outras modalidades, mas ao contrário da natação, o processo de entrada em cada uma delas é feito diretamente com o professor”, observou Everardo Rezende.

Para realizar inscrição, os interessados devem comparecer à FVO, de segunda a sexta-feira, das 08h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h00. Para alunos novos são necessárias duas fotos 3X4, cópia do RG ou certidão de nascimento, declaração da escola em que estuda e preenchimento da ficha de inscrição além do pagamento da inscrição, que tem o mesmo valor da mensalidade, R$ 15.

Consolidadas – As escolinhas de iniciação esportiva da Vila Olímpica de Manaus são consideradas atividades contínuas e consolidadas, entre as que são realizadas diretamente pela FVO. O objetivo é promover práticas desportivas e de lazer, com a participação de crianças e adolescentes, na faixa etária de seis a 17 anos e regularmente matriculados no sistema de ensino básico.

O quadro de professores é formado por 34 profissionais de educação física, todos pertencente à Secretaria de Estado de Educação (Seduc/AM), concursados e especializados na área de atuação.

De acordo com Mike Moraes, 46, que está no programa desde 1990, o importante nessa etapa de testes é que o aluno se concentre em atravessar a piscina, mesmo que não tenha habilidades técnicas para isso.

“Primeiramente, ele tem que sobreviver na água, atravessar”, disse o professor. “Passada essa fase, o aluno entra no nível dois, quando irá aperfeiçoar os quatro nados: crawl, costas, peito e borboleta”.

As irmãs Ana Clara, 10, e Sophia Silva, 11, entraram em janeiro e já superaram os primeiros desafios. Os treinos diários melhoraram o desempenho das duas na piscina, na escola, em casa e até no tratamento de uma sinusite, acometida pela mais velha.

“O ambiente é bom, temos um benefício que ajuda no crescimento e, por isso, apesar de vir de longe, não abro mão de estar aqui com elas”, frisou a mãe das meninas, Júlia Silva, 48, que é moradora do Parque Dez, na zona sul de Manaus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui