Ex-funcionário denuncia uma multinacional por desrespeito à CLT

O ex-funcionários da empresa multinacional japonesa Yusen Logistics, André Costa, que presta serviços para a multinacional americana P&G, localizada na Avenida Guaruba, 740, bairro do Distrito Industrial I, Zona Sul de Manaus, está denunciando a terceirizada por diversos problemas com relação a suas funções dentro da empresa.

Uma outra denúncia é que a Yusen passou a colocar nos contracheques o pagamento de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) mas com valor zerado, como se não recebesse da P&G e não tendo o que repassar as funcionários.

Costa denuncia que ele e mais alguns funcionários foram remanejados para setores diferentes daqueles para os quais foram contratados, sendo submetidos a uma carga de trabalho bem maior, sem a devida compensação de salário. “Nossa função na carteira era de ajudante, mas na prática tínhamos função de produção, como montagem de produtos e, o que é mais grave, recebíamos apenas por uma função”, denunciou.

O denunciante afirma que eles não estão incluídos no PLR do qual os funcionários da P&G fazem parte. Costa disse que ano passado aconteceram mudanças na nomenclatura das funções dos funcionários e, de maneira errada, a empresa pôs em cada documento uma função diferente.

Contra cheques

“Eu prestava serviço na Yusen Logistics para a P&G com diversos cargos; na minha Carteira de Trabalho está a função de ajudante, porém eu e outros funcionários estávamos trabalhando na linha de produção. Além disso, em três documentos que eu possuo está uma ocupação diferente”, disse o ex-funcionário.

Segundo ele, “no setor G2 da fábrica têm funcionários que estão trabalhando, mas não recebem o devido salário. Antes tinha uma lista no chão onde sinalizava até onde os funcionários deveriam atuar, passando dela não era responsabilidade da Yusen, mas da P&G. Depois de algum tempo, o limite foi expandido e funcionários não receberam nenhum aumento no salário ou coisa parecida pra trabalhar em uma área maior”, disse ele.

O outro lado

De acordo como a assessoria de comunicação da Yusen Logistics, o ex-funcionário André Costa está tentando denegrir a imagem da empresa, pois era um empregado insatisfeito com a empresa e busca “distorcer” sua imagem nos veículos de comunicação.

“Isso é produção e não logística”, denuncia – foto: divulgação

Ainda de acordo com a empresa, as multinacionais P&G e Yusen não cometeriam desvios de função ou sonegariam PLR aos funcionários, pois “prezam pela credibilidade com o povo amazonense”.

A Yusen afirmou que não recebe da P&G a Participação nos Lucros e Resultados para repassar para os seus funcionários, e não é obrigatória sua participação, porque a empresa, em conjunto com o sindicato da categoria, decidiu não participar da PLR.

Sobre a questão da nomenclatura das funções dos funcionários, a Yusen esclareceu que foi ela foi elaborada a partir de um acordo com os próprios funcionários, que utilizaram a ouvidoria da empresa para requerer uma mudança de nomes nas suas funções, por entender que “ajudante” não especificava sua atividade dentro da empresa.

Com informação do Portal dos Barés

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui