Expressões e seu sentido – Flávio Lauria

Flávio Lauria é Administrador de Empresas e Consultor.

Caros leitores, existem frases e palavras que as vezes são discutíveis, porque possuem diversas origens etimológicas, algumas contestáveis. Em etimologia isso se repete muito, como você verá nesta coluna ao longo do tempo. É assunto para briga de filólogos e estudiosos, discussão puramente acadêmica que, além do bom papo, promove a degustação dos melhores vinhos.

Por isso, havendo dúvida em alguma palavra, frase ou expressão nesta coluna, escreva, proteste, discuta, argumente, ensine. Vamos viver e aprender, não é mesmo? Um caso desses: a expressão cor de burro quando foge, tão popular por estes brasis afora.

Para muitos, o correto é corra de burro quando foge, ou seja, quando o animal está furioso é perigoso chegar ou ficar perto dele. Melhor fugir, correr. Lógico, até porque não existe, realmente, na escala cromática, uma estranhíssima cor de burro quando foge. Vale o fato ou a versão? Você decide. Dito isso, vamos às palavras de hoje. Aquário ou piscina – Aquário vem do latim aquarium, tanque, reservatório de água, bebedouro para o gado.

A origem é a palavra latina aqua, água. Já piscina, viveiro de peixes, vem do latim piscis, peixe. No português, ambas tiveram o sentido trocado: hoje aquário é um viveiro de peixes, e piscina um reservatório de água. Amazonas – Vem do grego mastós, que significa mama. Seu cognato é mazos, que, também em grego, significa seio. Como o prefixo a ou an quer dizer privação, falta de (Anador, por exemplo, quer dizer sem dor), amazona, em sua origem era a mulher sem seio.

As amazonas eram guerreiras que teriam habitado a Turquia, e que, para facilitar o uso do arco, queimavam ou cortavam o seio direito. Foi a partir dessa lenda (olha aí o fato e a versão …) que os colonizadores assim chamaram as mulheres armadas de arco e flecha que encontraram na região banhada pelo Amazonas – rio das amazonas. Canguru – Quando os conquistadores chegaram à Austrália, assustaram-se ao ver estranhos animais que davam saltos incríveis. Chamaram um nativo e lhe perguntaram qual o nome daquele bicho. O aborígene ficou repetindo Kan Ghu Ru. Os britânicos assimilaram a palavra em seu idioma como kanguroo. Depois de pesquisas locais, veio a revelação: os indígenas, ao serem indagados, simplesmente queriam dizem não te entendo! Concordar – É o que acontece quando duas pessoas se unem de coração: cum + cordis, duas palavras latinas. Quem discorda é porque seu coração não bate junto com o do outro. Robô – Palavra nos chegou pelo francês robot que, por sua vez, veio da língua tcheca, em que robota significa trabalho forçado.

Como se sabe, robô é um mecanismo programado para trabalhar ininterruptamente. Sem férias, domingos, feriados, FGTS, TPM, pedidos de aumento de salário, perfeito e incansável colaborador. O ideal de qualquer empresário… Salamaleque – Palavra originada da saudação árabe as-salam’alaika, a paz esteja contigo! Entre nós, além de gesto respeitoso, é o símbolo do puxassaquismo nacional, de gente que se curva na babação a algum figurão – “e o cordão dos puxa-sacos cada vez aumenta mais…”, e por fim a palavra Furunfar, que conforme a poeta Giselle Serejo,” tudo o que é prazer, é divino. Só é baixo, só é vil o que não nos faz vibrar de um gozo qualquer”, ou seja, a definição de manter relação sexual ela poetiza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui