Falando francamente …- Por Osíris Silva

Economista Osíris Silva (AM)

O PT, suas parcerias e militâncias, sob a liderança de Lula da Silva, é, e sempre será, contra toda e qualquer reforma desde que se organizaram como partido político.
Com efeito, combateram a nova Constituição, que o Lula não assinou; foram contrários ao Plano Sarney, ao Plano Collor e ao Plano Real, à Lei de Responsabilidade Fiscal, que feriram de morte em seus governos (vide as pedaladas fiscais); foram contra as privatizações e o PROER, que reestruturou e modernizou o sistema financeiro nacional.

A tudo enfim que signifique mudanças, reformas, avanços. Por isso, não deram prosseguimento às reformas revistas no Plano Real, com as quais Lula havia se comprometido em sua plataforma de campanha em 2002 (atenção à Carta ao Povo Brasileiro por ele assinada).

Economista Osíris Silva (AM)

Desta forma, permaneceram engavetadas as reformas política, tributária, da previdência, da educação, da saúde pública, da segurança, do saneamento básico, dos transportes, da universidade e da ciência e tecnologia.

Verdadeiras bombas de efeito retardado explodindo nas mãos de Michel Temer.

O Brasil retrocedeu nos 13 anos da era Lula/Dilma. Criaram novos cursos universitários, mas não os estruturaram tecnologicamente, nem os dotaram de professores, laboratórios e instalações adequadas.

O resultado é o caos instalado na universidade e no ensino básico (sem rumo), entregues de bandeja ao setor privado; na segurança pública (morrem por ano mais cidadãos no Brasil do que na guerra da Síria), no saneamento, na saúde, nos transportes, nas obras do PAC não iniciadas ou inconclusas.

Sem considerar que o Brasil se distancia a cada ano do grupo de países que investem e assim comandam os avanços que se processam no campo da ciência, tecnologia e inovação.

Adicionalmente, coerentes aos princípios anarco-ideológicos bolivarianos e a desmedido projeto de perpetuação no poder, o PT e seus parceiros (destacando-se o PCdoB) montaram o maior esquema de corrupção antes jamais visto na história deste país.

E quebraram o Brasil

Sem subterfúgios e falando francamente, a despeito dos erros do governo Temer, que, forçoso reconhecer herdou a mais corrupta e desmoralizada estrutura política e governamental de que se tem notícia, somente, e tão somente por meio das reformas haverá de se consertar toda essa barafunda, e, ainda, promover a concertação, a harmonização e os ajustes no papel internacional do país.

Não há dúvida, sem as reformas (desta ou daquela maneira, deste ou daquele formato) jamais o Brasil vai superar este que, certamente é o período mais negro de nossa história, em seguida voltar a crescer e tornar-se respeitável perante o concerto das nações democráticas.(Osíris Silva é Economista, Consultor de Empresas e Escritor – [email protected])

NR -Artigo publicado hoje (16), excepcionalmente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui