Gato sobrevive a flecha atravessada na cabeça


Foto:Divulgação
Foto:Divulgação

Um gato de dois anos sobreviveu depois de ter sido atingido por uma flecha na cabeça em Brotas, no interior de São Paulo. O caso foi registrado no último dia 11, mas só foi divulgado na segunda-feira. A cirurgia para retirada do objeto durou cerca de uma hora.

O gato Nano foi encontrado pelos donos em cima do muro da casa da família, por volta das 8h. Imediatamente eles procuraram um veterinário do município, mas foram informados que a clínica não tinha recursos suficientes para atender o animal, devido à gravidade do caso. Por indicação da clínica, a família decidiu buscar ajuda em um hospital veterinário particular de Jaú, distante 54 quilômetros de Brotas.

Ao chegar ao hospital veterinário, Nano deixou a veterinária que estava de plantão surpresa. “Ele não demonstrava sofrimento ou dor, não estava prostrado. Tinha apenas dificuldade para respirar. Quando colocamos ele na mesa ele andou normalmente com a flecha atravessada na cabeça. Foi impressionante”, contou a veterinária Vanessa Vieira de Freitas.

Em seguida, o gato recebeu antibiótico e anti-inflamatório para evitar possíveis complicações como infecções e foi sedado para que fosse submetido a exame de raio-x. Segundo a veterinária, a flecha entrou pela narina esquerda do animal, passou a 2 centímetros do cérebro e saiu pela região da cervical, mas não atingiu a coluna. “Nossa preocupação era a flecha ter atingido o cérebro ou alguma artéria e a própria flecha estar estancando. Além disso tinha a preocupação de o animal morrer de hemorragia quando a flecha fosse retirada”, explicou Vanessa.

Assim que foi sedado, a equipe do hospital serrou parte da flecha para tirá-la da cabeça do gato. A cirurgia durou cerca de uma hora. De acordo com a veterinária, houve bastante sangramento, mas foi possível estancar. Na manhã seguinte a cirurgia Nano se alimentou de ração e no mesmo dia recebeu alta médica.

Formada em medicina veterinária pela Universidade de Marília (Unimar) há três anos, Vanessa nunca tinha se deparado com tal situação. “Eu já tinha visto cães atingidos por tiros, mas um animal atingido por uma flecha nunca. Foi um milagre ele sobreviver. Quando ele chegou eu fiquei em choque. Primeiro eu não acreditava que uma pessoa tinha flechado um animal, depois pela forma como ele chegou aqui”, relembra Vanessa.

De acordo com ela, Nano é considerado um animal jovem e gatos domésticos vivem, em média, entre 15 e 18 anos. A veterinária acredita ainda que a flecha usada para ferir o gato é de uso profissional, fabricada em metal e madeira. Os donos de Nano registraram boletim de ocorrência na Polícia Civil de Brotas e o caso deve ser investigado. A flecha foi entregue aos donos de Nano que irão encaminhar à polícia para investigação. “É bem gratificante saber que ele sobreviveu e está bem. Ainda mais por ter sofrido maus tratos”, completou. Terra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui