Governo promove ações para conscientizar população sobre a hanseníase

Foto: Divulgação/Secom

Como parte da programação da campanha Janeiro Roxo, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) realizará uma série de ações para chamar a atenção da população para os cuidados com a hanseníase. Conforme dados do Ministério da Saúde (MS), nos últimos três anos houve uma redução de 12% nos casos no Amazonas. Em 2017, o estado registrou 460 novos casos da doença, enquanto em 2019, foram 401 casos.

De acordo com o secretário de Saúde, Rodrigo Tobias, mesmo com a tendência de redução, os números da hanseníase ainda preocupam. “O Governo do Estado tem atuado para manter a redução nos números de casos detectados, investindo em programas de combate e tratamento na capital e interior. Com isso ampliamos a oferta do diagnóstico, que é importantíssimo na quebra da cadeia de transmissão”.

Em 2019, foi criado o Projeto Ação pela Eliminação da Hanseníase (Apeli), que leva ao interior do estado do Amazonas uma frente de ações para educação, exames, tratamento e organização estratégica, práticas importantes para o combate à hanseníase e outras doenças dermatológicas, além das infecções sexualmente transmissíveis (IST).

“Com esse programa estamos melhorando a busca ativa, principalmente no interior, onde estamos reforçando o diagnóstico para alcançarmos um corte na cadeia de transmissão e ajudar no tratamento da doença. A campanha Janeiro Roxo vai reforçar as ações da nossa rede de tratamento”, conclui o secretário.

O início da campanha Janeiro Roxo acontece na próxima terça-feira (07/01), a partir das 8h, no Shopping Phelippe Daou, na zona norte. Durante o evento, haverá oferta de consulta dermatológica e clínica geral, além de corte de cabelo, bandeiraço e distribuição de material educativo. A programação acontecerá nas unidades de saúde da rede estadual e municipal, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

Foto: Divulgação/Secom

No dia 25, o bairro Colônia Antônio Aleixo recebe uma ação de saúde e cidadania com oferta de exames dermatológicos, consultas médicas, além de serviços como corte de cabelo e emissão de documentos. A ação acontecerá no Centro de Reabilitação Antônio Aleixo, na sede do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan) e na Escola Municipal Violeta de Matos Areosa.

No dia 31, a partir das 8h, acontece uma caminhada de sensibilização dos moradores sobre a hanseníase no bairro Colônia Antônio Aleixo, na zona leste. A caminhada iniciará no Lago do Aleixo, percorrerá as ruas do bairro e terminará em frente ao Hospital Geraldo da Rocha, na praça central da comunidade.

A agenda de mobilização tem como objetivo reforçar o compromisso de controlar, oferecer diagnóstico e tratamento corretos, além de difundir informações para desfazer o preconceito em torno da doença.

A programação conta ainda com exames dermatológicos, palestras e distribuição de material educativo para os usuários das unidades da rede estadual e municipal de saúde.

A Fundação Alfredo da Matta (Fuam), unidade referência no tratamento da doença no Amazonas, realiza buscas ativas com exames na capital e no interior do Estado, por meio do Projeto Apeli. Em 2019, nos mutirões de atendimento, a triagem identificou 85 casos novos em 18 municípios do Amazonas, nos quais foram feitos 3.036 atendimentos, entre exames e consultas dermatológicas.

Durante o Janeiro Roxo, a Fuam estará com portas abertas para exames dermatológicos, e o prédio da unidade receberá iluminação na cor da campanha. A Fundação também enviou para os municípios materiais informativos para colaborar com a campanha.

Nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) serão ofertados exames de pele para os usuários. O exame será feito com livre demanda e os pacientes não precisam de encaminhamento.

Durante o mês de janeiro, a Policlínica Codajás, no bairro Cachoeirinha, vai realizar um mutirão de consultas nos dias 14 e 15 de janeiro. Ao todo serão 80 consultas dermatológicas, divididas nos dois dias de mutirão.

Para ter acesso às consultas na policlínica, o paciente deve procurar a unidade previamente e passar por uma triagem com a equipe de enfermagem. As consultas serão com as dermatologistas Aline Grana e Camila Mendes, nos dias 14 e 15 respectivamente.

De acordo com o Boletim Epidemiológico de Hanseníase mais recente do Ministério da Saúde (MS), nos últimos três anos foram registrados 1.333 casos da doença no Amazonas, com uma redução de 7%. Em 2018, o MS registrou 425 novos casos; em 2017, foram 460; e, em 2016, foram notificados 448 novos casos.

Em 2019, até primeira quinzena de dezembro, o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) detectou no Amazonas 401 casos novos de hanseníase. Do total de casos novos, 126 (31,4%) são de residentes na capital e 275 (68,6%) residentes em outros 46 municípios.

Os municípios que apresentaram o maior número de casos foram Manaus, com 126 casos novos; Careiro, com 23; Autazes, com 22; Humaitá, com 21; Novo Aripuanã, com 18; Boca do Acre, com 15; Parintins e Lábrea, com 13 cada; e Silves, com 10 casos novos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui