Hauache Pioneiro e Dudu – Dinossauro da TV Amazonense

Foto: Reprodução

Por Dudu Monteiro de Paula

Olá, Salve, Salve!

Ano 1965. Surge em Manaus a TV A CABO.

Iniciativa da família HAUACHE. Cabo mesmo, que passava de poste em poste e entrava nas casas dos Manauenses.

O primeiro teste foi em nossa casa, na rua Belém, 544 – Adrianópolis. Três câmeras e dez monitores. As câmeras foram colocadas em um salão e há duzentos metros em um muro, ficaram os monitores.

À época, nos clubes tradicionais existia como preparação ao futuro, grupos da juventude. O do Olímpico era coordenado por Pedrinho Aguiar e Ednelza Sahdo, com um show muito “legal”.

No show, imitava um cantor famoso: Louis Armstrong. Por causa disso, fui convidado a participar da inauguração da TV no Amazonas.

Carteira da TV Ajuricaba -Foto: Divulgação

Os cabos eram, continuamente, cortados pelo cerol das linhas dos papagaios de papel e a manutenção era muito cara.

Em 1969, os HAUACHE foram os primeiros a transmitir o Sistema Globo de Televisão, através da TV AJURICABA, que tomou conta da audiência.

Em virtude da transição da Globo para a TV Amazonas, trabalhei por um período na TV AJURICABA. Momento que a TV AJURICABA se transformou em Rede Brasil Norte (RBN) e passou a transmitir a REDE MANCHETE.

Em outra passagem interessante, estava nos Estados Unidos, com o Atleta do Amazonas ÁLVARO HONÓRIO e produzi a primeira reportagem internacional de uma TV amazonense com o repórter LUIS CARLOS AZENHAS para o Brasil: contamos a História do Seu Álvaro, que concluiu a MARATONA DE NOVA YORK em terceiro lugar na idade dele.

Seu Álvaro na Maratona de Nova York próximo a linha da chegada no Central Park – Foto: Divulgação

Trabalhando na TV AMAZONAS, que transmitia REDE BANDEIRANTES, por força do destino, recebi a ligação do LUCIANO DO VALE, solicitando imagens da final BRASIL e ARGENTINA do sul-americano de Handball, que acontecia em Manaus, junto aos primeiros jogos pan-americano da modalidade com oito países.

Assim, quis a natureza, que eu fosse o repórter das primeiras imagens enviadas do desporto, do Amazonas para o BRASIL.

Chegou a era do satélite. Antes disso, a programação chegava por avião e era reproduzida na Rede Amazônica, que já era Rede Globo.

O Faustão fazia sua estreia na Globo, com um programa via satélite aos domingos, das capitais brasileiras. O primeiro foi em MANAUS (olha eu aí de novo)!

Durante a semana com a direção do Faustão, decidimos que a transmissão seria da Praça São Sebastião em frente ao Teatro Amazonas. Na abertura apresentei um cidadão que comia vidro.

Foto: Divulgação

Com uma arrara em meu ombro, uma Jiboia de uns três metros apareceu no vídeo. Expliquei ao Faustão, que eram animais do CIGS e acostumados com o homem.

Em dado momento, os soldados saíram para o lado errado e uma onça mordeu a cobra “AO VIVO”. “Longos” três minutos de tensão. Assim foi minha estreia via satélite para o Brasil, no DOMINGÃO DO FAUSTÃO.

Lamentavelmente, a cobra morreu infeccionada com a mordida. Respondemos um processo, movido pelas Instituições de Proteção aos Animais, mas provamos que foi um terrível acidente: uma esteia EXPLOSIVA na audiência e nos problemas.

Ufa! Quis Deus que eu estivesse em momentos marcantes da televisão no Amazonas!

Graças a família HAUACHE, que ainda está no veículo Televisão, a TV entrou no meu sangue e virou profissão.

A família HAUACHE colocou a televisão na Selva Amazônica e, narrando estes fatos, percebi que sou um “DINOSSAURO da TELEVISÃO no Amazonas.

Por hoje é só! Semana que vem tem mais! Fuuuiiiiii!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui