Incêndio em hospital particular deixa 11 mortos no Rio

Fundos do prédio mais antigo do Hospital (Reprodução/TV Globo)/Camas montadas no meio da rua (Celso Pupo/Arena/EstadãoConteúdo)

A direção do Hospital Badim, parcialmente destruído em um incêndio na noite de ontem quinta-feira (12), afirmou às 7h desta sexta (13) que os bombeiros encerraram no fim da madrugada as buscas por mortos.

Onze corpos – todos de pacientes, segundo a unidade – foram retirados durante varreduras. Até as 7h50, duas vítimas foram identificadas:

  1. Irene Freiras de Brito, 84;
  2. Luzia dos Santos Melo, 88;

A direção do hospital abriu os canais [email protected] e 971013961 (com acesso ao WhatsApp) para atender parentes.

Pessoas montam camas na rua em frente ao Hospital Badim, no Maracanã — Foto: Reprodução/Globocop

Remoção de pacientes

A varredura dos bombeiros começou por volta das 21h45, cerca de uma hora após o fogo ter sido considerado debelado, e seguiu pela madrugada. Os corpos foram retirados em sacos e levados ao Instituto Médico-Legal (IML).

Segundo os bombeiros, cerca de 90 dos 103 pacientes internados foram transferidos para as seguintes unidades de saúde:

  • Anexo do Badim, que não foi atingido no incêndio;
  • Hospital Israelita Albert Sabin;
  • Hospital Copa D’Or;
  • Hospital Quinta D’Or;
  • Hospital Norte D’Or;
  • Hospital Caxias D’Or;
  • Hospital São Vicente de Paula.

Enfermeiros, médicos, bombeiros e moradores da região ajudaram a acomodar pacientes em colchões nas calçadas na Rua São Francisco Xavier e em uma creche vizinha.

Pacientes são removidos após incêndio que atinge o Hospital Badim — Foto: Wilton Junior/EstadãoConteúdo

Como foi o incêndio

O fogo começou por volta das 18h30 em um dos dois prédios do complexo – o mais antigo, aberto em 2000.

De acordo com a direção do hospital, a principal suspeita é de um curto-circuito no gerador do prédio 1, espalhando fumaça para todos os andares do prédio antigo.

Ainda segundo a direção, os pacientes do Centro de Tratamento Intensivo 1 (CTI) foram retirados e receberam os primeiros atendimentos na Rua Arthur Menezes por volta das 19h30. Os pacientes do CTI 2, que tem 20 leitos, também foram retirados.

Segundo moradores, pacientes e funcionários começaram a sair do hospital assim que o incêndio começou.

O dono da creche que fica ao lado do hospital contou que, inicialmente, os pacientes que têm quadro de saúde mais grave foram levados para lá.

Moradores vizinhos ao Hospital Badim precisaram deixar suas casas rapidamente. O motivo da pressa foi o medo que as paredes que ficam coladas ao hospital pudessem desabar.

A energia elétrica foi desligada pela Light para facilitar o trabalho das equipes de atendimento e resgate.

Fumaça de incêndio do Hospital Badim, no Maracanã, é registrada por moradores da região — Foto: Reprodução/Redes sociais

No final da noite de quinta, a direção do Hospital Badim emitiu uma nota:

A Direção do Hospital Badim vem a público expressar seu profundo pesar em relação ao incêndio ocorrido na noite desta quinta-feira.

Informamos que 103 pacientes estavam internados no hospital no momento do episódio.

Imediatamente, a brigada de incêndio iniciou a evacuação do prédio, mesmo antes da chegada do Corpo de Bombeiros.

Desde o primeiro momento a prioridade total foi socorrer os pacientes e funcionários e salvar vidas. Mais de 100 médicos foram mobilizados para dar assistência aos pacientes que estavam sendo socorridos.

Face a esse fato trágico, a solidariedade dos hospitais privados e das Secretarias Estadual e Municipal de Saúde está garantindo que os pacientes sejam transferidos.

Para transmitir informações seguras, a Direção se manifestará novamente à medida em que o Corpo de Bombeiros terminar o seu trabalho e liberar o acesso ao prédio.

O trabalho dos bombeiros continua e nos mantemos solidários às famílias, pacientes e funcionários envolvidos.

A Direção

Mais tarde, durante esta madrugada, a direção emitiu outra nota:

A direção do Hospital Badim informa que logo após o início da remoção dos pacientes pelo Corpo de Bombeiros o comitê de apoio foi acionado para começar uma busca ativa pelos pacientes que foram transferidos para unidades de saúde do Rio de Janeiro. Está sendo disponibilizado o número de Whatsapp 97101-3961 e o e-mail [email protected] para que os familiares dos pacientes envolvidos no episódio entrem em contato para receber informações sobre sua localização.

Além disso, o hospital enviou funcionários para os principais hospitais do Rio de Janeiro a fim de monitorar a chegada de pacientes transferidos.

Mais uma vez a direção do Hospital Badim externa sua imensa tristeza diante do ocorrido.

Uma última nota foi divulgada no fim desta madrugada:

A direção do Hospital Badim continua acompanhando o trabalho do Corpo de Bombeiros. Os familiares dos pacientes e funcionários envolvidos no episódio receberam atendimento pelo comitê de apoio do hospital, inclusive de uma assistente social.

Todas as providências estão sendo tomadas para acolher as famílias. Informamos que a direção do hospital irá se pronunciar após a inspeção do Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil, que deve acontecer ainda na manhã desta sexta feira (13/9).

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui