INSS e Caixa podem ser multados por dificultar acesso de indígenas a benefícios

Foto: Reprodução

A União, Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e Caixa Econômica Federal podem ser multados por descumprirem decisão judicial para adotar medidas que assegurem acesso dos indígenas, quilombolas e tradicionais aos benefícios sociais, emergenciais e previdenciários. A recomendação é do Ministério Público Federal (MPF) à Justiça Federal.

O acesso desses povos deve ser feito diretamente das aldeias ou comunidades, evitando assim o deslocamento e as aglomerações nas sedes dos municípios do Amazonas. O órgão ministerial pede, também, a aplicação de multa pessoal aos gestores do INSS e da Caixa Econômica Federal, ao ministro da Cidadania e ao secretário nacional de Assistência Social, por conta do descumprimento da decisão proferida na ação civil pública ajuizada pelo MPF em maio de 2020.

Caso a omissão dos órgãos continue e eles não cumpram a decisão, o MPF pede que seja determinada a suspensão ou bloqueio de todas as publicidades institucionais da União (Ministério da Cidadania), do INSS e da Caixa Econômica Federal – com exceção daquelas de caráter urgente e essencial – enquanto permanecer a omissão.

Além do acesso remoto nas aldeias e comunidades para recebimento dos benefícios, a ação do MPF trata também da segurança alimentar dos povos mencionados, com a entrega das cestas básicas ou compra direta da produção destes povos com redistribuição aos que se encontrem em piores condições.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui