Justiça pode multar em R$ 10 Mil, Fake News contra Wilson Lima

O candidato Wilson Lima (PSC) esteve com o presidente do TRE-AM, desembargador João Simões, para pedir ação enérgica do Tribunal contra as fake news e obteve resultados - Foto: divulgação

Dois usuários do Facebook tentaram vincular Wilson Lima (PSC) a empresários presos pela Polícia Federal nesse final de semana, por desvio de dinheiro da saúde, mas a Justiça Eleitoral reconheceu que o candidato sofreu ataque de Fakes News e ordenou retirar o conteúdo do ar.

Andrew da Silva Souza postou em seu perfil no Facebook quatro informações inverídicas contra Wilson Lima; e Nadson Rodrigues Pires, duas. Eles foram obrigados a excluir as publicações falsas no prazo de 48 horas. Se não cumprirem a decisão, poderão ser multados em R$ 10 mil por dia.

Os dois usuários divulgaram a informação falsa de que empresários presos na operação Cash Back da Polícia Federal, realizada na última semana, seriam financiadores da campanha de Wilson Lima, candidato pelo Partido Social Cristão (PSC).

O candidato Wilson Lima (PSC) esteve com o presidente do TRE-AM, desembargador João Simões, para pedir ação enérgica do Tribunal contra as fake news e obteve resultados – Foto: divulgação

Fundo Partidário

A campanha de Wilson Lima está sendo financiada apenas por recursos do fundo partidário. Daí a Justiça ordenar que dois ‘fakes news’ excluam conteúdos considerados ofensivos e falsos, publicados em suas redes sociais.

A coligação Transformação Por um Novo Amazonas diz que a imprensa vem sendo informada de que os recursos da campanha de Wilson Lima vieram exclusivamente do fundo partidário, sem nenhuma doação de pessoa física, conforme informado à Justiça Eleitoral.

“Eu repudio essa tentativa sórdida de ligar meu nome a um grupo que deve muitas explicações à Justiça e ao povo do Amazonas”, disse Wilson Lima. “Continuaremos a processar qualquer pessoa que divulgue mentiras contra nós. Minha campanha é minha história, que foi, é e sempre será limpa. A verdade vai prevalecer”, acentua Wilson Lima.

O juiz auxiliar Ricardo Augusto de Sales, que decidiu sobre ambos os casos na noite da última sexta-feira (12), reconheceu que não há qualquer registro de doação de pessoa física, o que evidencia a falsidade do conteúdo publicado.

“Em todos os ‘posts’, observa-se informação despida de verdade, seja associando o candidato (…) ao fato negativo recentemente ocorrido e amplamente noticiado (…), seja distorcendo fatos dos quais o representante fez prova contrária a seu favor. Indubitavelmente, há (…) tentativa de influenciar negativamente o candidato (…) junto a seu potencial eleitorado, diante da mídia de massa que é a rede social”, sentenciou o juiz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui