Medalhista paralímpica, se prepara para o Campeonato Brasileiro de Vôlei Sentado

Na capital paulista, Laiana vai se juntar a equipe do Sesi/SP-Foto: ANTONIO LIMA/SEJEL

Passada a missão muito bem cumprida nas Paralimpíadas Rio 2016, a amazonense Laiana Rodrigues se prepara para mais um desafio. Desta vez, a paratleta terá pela frente o Campeonato Brasileiro de Vôlei Sentado, que acontece de 18 a 21 de dezembro, em São Paulo. Entretanto, a medalhista de bronze paralímpica embarca bem antes para a Terra da Garoa, especificadamente na madrugada desta segunda-feira, 05. Para ir à competição, a jogadora recebe apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).

Na capital paulista, Laiana vai se juntar a equipe do Sesi/SP, considerada uma das mais fortes do circuito. E o período antes do início do Brasileiro, vai servir para a paratleta se entrosar ao time e participar de amistosos. Sendo a primeira competição após as Paralimpíadas, ‘Lala’ confessa que ansiedade é o que não falta.

“Confesso que estou numa expectativa muito grande, um pouco ansiosa, pois geralmente o Sesi/SP faz alguns amistosos com times masculinos e a tendência é de conhecer novos jogadores para que possamos ter o máximo de experiência possível e, sinceramente, preciso muito me antecipar e participar deste intercâmbio e deste grupo. Assim, acredito eu, poderei contribuir com a equipe e fazer junto com elas a melhor campanha possível”, afirmou.

Uma das principais adversárias da equipe de Laiana, segundo a amazonense, são ode Goiânia. Mesmo assim, as oponentes não assustam a paratleta. O foco agora é trazer medalha e somar pontos no ranking nacional, garantido assim a permanência na seleção brasileira. Esta será a última competição do ano da atleta paralímpica.

Na capital paulista, Laiana vai se juntar a equipe do Sesi/SP-Foto: ANTONIO LIMA/SEJEL
Na capital paulista, Laiana vai se juntar a equipe do Sesi/SP-Foto: ANTONIO LIMA/SEJEL

“Estou muito otimista quanto aos resultados, mas temos adversárias muito fortes, que são de Goiânia, como os times Adfego e o Ada. Estas equipes são grandes e geralmente estão entre as disputas das finais. Entretanto, geralmente o Sesi leva a melhor, e eu quero mesmo é poder participar bem e contribuir com este grupo que me adotou, que me contratou e me confiou esta responsabilidade. Fora que meu desejo é trazer mais uma conquista para o Amazonas e vou muito focada para isso”, destacou.

Para o Brasileiro, além de muito treino e dedicação, Laiana Roduigues tem outra `arma` poderosa para entrar bem em quadra. Trata-se de um terço dado por sua mãe, considerado o amuleto da paratleta. “Eu tenho meu amuleto, que é um terço que minha mãe me presenteou antes de eu ir para a Holanda em 2015. Toda nossa fé é depositada dia a dia em orações e, assim, vou lá com muita positividade e aguardo uma torcida calorosa do povo do meu Estado”, frisou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui