Metade dos trabalhadores do Polo Industrial de Manaus entrou de férias coletivas

PIM entra de férias coletivas para conter avanço do coronavírus - Foto: Divulgação

Dos quase 75 mil trabalhadores do Polo Industrial de Manaus (PIM), 30 mil entraram de férias coletivas hoje (30), por pelo menos 15 dias, enquanto passa o período crítico da transmissão do coronavírus em todo Brasil, mas especialmente no Amazonas. Outros 40 mil funcionários continuarão nos seus postos de trabalho.

As principais indústrias do PIM, como as multinacionais Sansung, LG, Yamaha, Moto Honda, Gree e Transire, Calitos, Brastemp, Ifer, Yamaha e outras de pequeno e médio porte dispensaram seus funcionários como medidas de prevenção por causa da pandemia do Covid-19 mas, também, atendendo orientação das autoridades de saúde do Estado.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos e da CUT-Amazonas, Valdemir Santana, as empresas devem suspender o contrato de pelo menos 1.500 trabalhadores temporários, mas com todos os direitos assegurados.

P&D

Valdemir Santana insiste na questão do retorno das verbas de P&D e FTI aos trabalhadores do Distrito Industrial. Também acrescente que a prefeitura e o Governo do Estado devem dar a sua contrapartida, reduzindo imposto do ICMS, ISS, para ele a maneira mais viável de garantia dos empregos.

“Em 2109 o faturamento do Distrito Industrial atingiu a cifra astronômica de R$ 90 Bilhões. As empresas podem muito bem contribuir com 5% ou 2% dos impostos, um aditivo capaz de manter os empregos”, enumera. A proposta do Sindicato aos governantes e parlamentares da bancada federal será entregue esta semana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui