Moradores procuram segurança sanitária em comunidades ribeirinhas

Foto: Reprodução

A pandemia do coronavírus tem causado impactos diferentes pelas regiões do Brasil. Em Santarém (a 1.222 quilômetros de Belém) já foi determinado o lockdown, 100% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) foram ocupados e a economia ficou extremamente enfraquecida.

A 30 quilômetros dali, nas comunidades ribeirinhas do rio Arapiuns, há poucos casos diagnosticados de covid-19. Os moradores circulam sem grandes preocupações.

Essas comunidades receberam muitos moradores de Santarém, Belém e até de Manaus. Todas essas cidades tiveram um alto registro de coronavírus. Alguns desses moradores já residiam nas comunidades. No entanto, retornaram justamente por conta da pandemia, em busca de proteção.

À medida que os casos foram aumentando, as comunidades ficaram cheias. De acordo com especialistas, com esse cenário, a floresta representa um local que proporciona segurança epidemiológica.

“A preservação da Amazônia pode garantir segurança alimentar e sanitária em um período como este de pandemia”, afirmou o médico neurocirurgião Erik Jennings Simões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui