MPF investiga distribuição de cloroquina a indígenas em Roraima

Região de Auaris, na Terra Yanomami - Foto: Ministério da Defesa/Divulgação

A distribuição de cloroquina para povos indígenas e o acesso a territórios desses povos sem consulta estão na mira do Ministério Público Federal de Roraima (MPF-RR). O objetivo é apurar se houve desrespeito ao isolamento de comunidades que temem o risco de infeção pelo coronavírus.

Nesta semana, regiões da Terra Yanomami e Raposa Serra do Sol receberam equipes dos ministérios da Saúde, Defesa e da Fundação Nacional do Índio (Funai). Um plano deverá ser elaborado para monitorar a área contra o vírus e a ação de garimpeiros.

As ações atuais não respeitaram as medidas de segurança estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Além disso, muitas delas deixaram de ser cumpridas para o recebimento do plano emergencial.

Região de Auaris, na Terra Yanomami – Foto: Ministério da Defesa/Divulgação

Entre as ações indicadas pelo MPF-RR, estão a fixação de equipes interinstitucionais em pontos estratégicos da terra indígena, assim como medidas para que o risco de contaminação não seja agravado, “como quarentena prévia das equipes e não aproximação das populações indígenas.”

O Ministério da Saúde disse ter enviado às duas regiões testes rápidos de coronavírus e medicamentos como azitromicina e cloroquina – não foi informado se a intenção é usar nos tratamentos de pacientes com o coronavírus. O uso não é recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui