Na contramão da economia, HSBC demite funcionário em Ji-Paraná

O HSBC demitiu funcionário da agência de Ji-Paraná com nove anos de casa.

O HSBC demitiu  funcionário da agência de Ji-Paraná com nove anos de casa.
O HSBC demitiu funcionário da agência de Ji-Paraná com nove anos de casa.

O HSBC demitiu, na semana passada, um funcionário da agência de Ji-Paraná que, no próximo mês de agosto completaria nove anos de casa e, com isso, comprovou que continua na contramão da economia brasileira.
Essa notícia confirma uma triste tendência que há algum tempo se desenha com a postura do banco inglês de fechar unidades e demitir funcionários, a exemplo do que ocorreu em Rolim de Moura, onde o banco demitiu a maioria dos funcionários, alocou um para Ariquemes e o que restou está acometido de LER/DORT. Com isso, a única agência daquele município teve suas atividades encerradas.

Para piorar a situação o banco anunciou, em reuniões realizadas nos dias 26 e 27 de maio, uma ‘reestruturação’ nas duas agências de Porto Velho.

Segundo a gerente regional do HSBC, Sarita S. da Silva, a agência Urbana, localizada ao lado do terminal rodoviário da Capital, vai encerrar as atividades de caixa e ficará apenas com a parte de negócios, ou seja, vai deixar de receber pagamentos e depósitos e vai somente lidar com venda de produtos e atendimento empresarial.

Para o Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (SEEB-RO) essa suposta ‘reestruturação’ representa uma potencial ameaça de novas demissões.

“O HSBC segue no caminho oposto à economia brasileira e à postura dos demais bancos, que abriram mais agências no Estado e contrataram mais pessoas. Os trabalhadores estão apreensivos com esta onda de demissões e o Sindicato é contra o fechamento de postos de trabalho. Nosso objetivo é pela defesa do emprego e pela abertura de mais agências e mais contratações”, avaliou José Pinheiro, presidente do Sindicato.

(Portal Rondônia)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui