No PT Amazonas agora é cada um por si e salve-se quem puder

Sinésio Campos, declarou que o partido manterá a aliança com David Almeida /Foto: Reprodução

Após três intervenções consecutivas da direção nacional do PT no Estado referente aos rumos que os petistas ficariam nesta eleição, resultou na entrada do PT em duas chapas majoritárias, deixando as lideranças dispersas e sem direção.

Atualmente o PT esta aliançado com David Almeida (PSB), conforme decisão da convenção estadual realizada dia 05 último, seguindo a primeira orientação da executiva nacional do PT, que queria o partido coligado com o PSB de David Almeida. Na ocasião, indicou o candidato a vice-governador e fez composição proporcional, na coligação, que poderia eleger José Ricardo a deputado federal.

Segunda decisão

Ontem (15), aos 45 minutos do segundo tempo, sem combinar com a direção do PT estadual, o PCdoB registrou uma chapa com as candidaturas majoritárias somente de comunistas, com a ex-vereadora Lúcia Antony candidata a governadora, o sindicalista dos petroleiros Ademir Caetano e Vanessa Grazziotin ao Senado e, de quebra, colocando o PT na coligação. Agora, a justiça eleitoral decidirá de que lado o PT ficará.

A militância do PT está sem rumo, dispersa e sem direção, enquanto os dirigentes fazem os movimentos políticos em várias direções. Tem liderança defendendo a manutenção da aliança com David Almeida (PSB) para salvar os ‘dedos’, garantindo a reeleição do Deputado Estadual Sinésio Campos e a possibilidade de eleger mais dois para Assembléia Legislativa, com José Ricardo a Federal.

Outros defendem ficar com a chapa do PCdoB de Vanessa sob a justificativa de ser uma aliança de esquerda e a garantia do palanque de Lula no Estado, mesmo de forma desorganizada.

Ainda tem liderança que pode fazer campanha ‘extraoficialmente’ para o governador tampão Amazonino Mendes (PDT) e, outros com o senador Omar Aziz (PSD) em busca de estruturas para suas campanhas.

A maior ameaça em jogo é que o PT-AM deixe a aliança com o PSB e participe do pleito sem coligação, o que seria prejuízo geral para os candidatos proporcionais a deputado federal e estadual do bloco, que estão agregados com outras legendas, cuja aposta principal do PT é a eleição do deputado estadual José Ricardo a federal e mais 2 estaduais. O PT entra fragilizado na campanha e pode não fazer seus parlamentares.

Decisão do presidente

O presidente estadual do PT, Sinésio Campos, declarou que o partido manterá a aliança com David Almeida e orientará a militância apoiar a eleição da Senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), numa aliança informal, disse o deputado.

Para o presidente licenciado da CUT e dos sindicatos dos metalúrgicos e candidato a deputado Estadual, Valdemir Santana, houve intransigência dos dois lados, do PSB que vetou a participação da Vanessa por questões não convincentes e do outro o PCdoB que articulou junto à direção nacional do PT, as intenções no PT estadual.

Com esse processo nas mãos da justiça, prejudicará demais as campanhas dos candidatos petistas que não poderão confeccionar seus materiais publicitários por estarem com dois candidatos ao governo, que resultará numa possível derrota ao PT onde ninguém ganhará, inclusive o próprio presidente do Partido, Sinésio Campos, corre risco de não garantir sua reeleição.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui