O povo amazonense responde à tentativa de desmantelamento da ZFM, com voto em Lula

Valdemir Santana conversa com ex-presidente Lula os detalhes da campanha no Amazonas - foto: Sindmetal

O coordenador da campanha do ex-presidente Lula no Amazonas, Valdemir Santana, disse que o povo amazonense, especialmente os trabalhadores da Zona Franca de Manaus (ZFM), deram uma resposta à altura, ao negacionismo que o bolsonarismo queria instalar no Estado.

Lula venceu com 49,58% dos votos válidos, em 57 dos 62 municípios do Amazonas. “Foi uma vitória acachapante, de um povo que não quer mais ouvir falar em desemprego, desmonte da saúde, falta de oxigênio e de vacinas em caso de nova pandemia, na de verbas para a educação, em ataques aos povos indígenas, no desmatamento da Amazônia, no desaparelhamento dos órgãos de fiscalização (IBAMA, INPE, Polícia Federal, ICMBio, que favorecem os garimpos ilegais do Rio Madeira e nas reservas indígenas.

Diante do quadro favorável, o coordenador da campanha de Luiz Inácio Lula da Silva no Estado e, também, presidente da Central Única dos Trabalhadores e do Sindicato dos Metalúrgicos no Amazonas, Valdemir Santana, agradece ao povo amazonense por acreditar no projeto de reestruturação do Brasil e, a geração de empego e renda no parque industrial do Amazonas.

Valdemir fala sobre o ‘projeto PT’ para os trabalhadores da Somidense – foto: Sindmetal

Fascistas

“Agradecemos ao povo amazonense pela vitória de Lula sobre esse fascista mentiroso. Nosso povo acreditou no projeto de Lula e no apoio dado por Eduardo Braga (MDB), pelo senador reeleito Omar Aziz (PSD) e pelo deputado reeleito, Sidney Leite (PSD), para que o presidente Lula tivesse uma votação expressiva no Amazonas”, disse Valdemir.

O Coordenador disse, ainda, que a outra vitória do povo amazonense, foi a derrota do candidato ao senado, o bolsonarista Coronel Menezes, que caiu de paraquedas no amazonas, para enganar as pessoas. “Ele foi responsável pelo prejuízo de 8 Bilhões, por impedir investimentos no Polo Industrial de Manaus (PIM) e desempregou mais de 21 mil trabalhadores”, comentou Valdemir.

Trabalhadores do Polo Industrial de Manaus (PIM) – foto: Sindimetal

Masoquismo

O presidente da CUT-AM disse acreditar em vitória para Lula no segundo turno. “O povo amazonense já deu o primeiro chute no bolsonarismo. Dia 30 de outubro, vai expurgar de vez esse mal que quase conseguiu acabar com a Zona Franca e a economia do Amazonas”, afirmou,

Santana pede aos amazonenses que “não sejam masoquistas”, que entendam o projeto do Partido dos Trabalhadores para o Estado, que deem ao ex-presidente Lula os 85% dos votos das eleições de 2002 e 2008, no 2º turno de 2022, para ter os seus milhares de empregos de volta.

Essa é a proposta dos bolsonaristas para o Amazonas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui