Amazonas Amazônia Destaques Formal & Informal

O PP ‘cooptou’ Átila Lins por R$ 2,5 Milhões do Fundo Nacional da Saúde

Deputado cooptado por R$ 2,5 milhões da saúde, Átila Lins - foto: divulgação
Redação
Escrito por Redação

A revista Isto É dessa semana trás mais um escândalo montado pelo já enlameado PP. Para se tornar a segunda maior bancada na Câmara, o PP cooptou sete novos deputados com dinheiro da Saúde e a oferta de mais R$ 2,5 milhões para a campanha de cada um, entre eles, o deputado federal Átila Lins, que saiu do PSD para o PP depois de seduzido pelo dinheiro da compra de novos deputados.

Partido mais encalacrado na Lava Jato, o PP, com 31 parlamentares sendo investigados por corrupção, parece mesmo gostar de flertar com malfeitos. Para chegar à posição de segunda maior bancada na Câmara, com 54 deputados, ficando atrás apenas do PT, mas superando MDB e PSDB, o partido montou uma operação com o uso de dinheiro público para cooptar novos parlamentares.

O PP foi às compras – foto: recorte

O esquema foi montado pelo presidente nacional do partido, senador Ciro Nogueira (PI), pelo então ministro da Saúde, deputado Ricardo Barros (PR), e pelo deputado Arthur Lira (Al), ex-presidente da Comissão do Orçamento. Os três articularam o ingresso de sete desses novos deputados ao partido em março, durante a abertura da “janela partidária” – período em que a Justiça Eleitoral permite a troca de partido para a disputa de novo mandato.

A cooptação ocorreu por meio de dinheiro do Fundo Nacional da Saúde (FNS) para os municípios onde os deputados têm base eleitoral. Além dos recursos da Saúde, os parlamentares obtiveram a promessa de receber R$ 2,5 milhões do Fundo Partidário para cada um tocar sua campanha à reeleição este ano.

Átila Lins

Diante do assédio do PP aos seus deputados, o presidente do PSD, Gilberto Kassab, disse que não faria leilão. Ao ver o deputado Átila Lins (AM) cruzando a porta de saída do partido em Brasília, Kassab teria dito, segundo um deputado ouvido por ISTOÉ: “Vá com Deus”. Não parece ser exatamente com Deus que o PP conta para engordar sua nefasta bancada.

Os novos deputados progressistas fazem questão de ostentar em suas bases que mudaram de partido para obter mais recursos públicos. O deputado Átila Lins, ex-PSD, por exemplo, tem como uma das suas bases eleitorais o município de Fonte Boa. Vizinho, está Tefé, de apenas 62 mil habitantes, onde Átila Lins também atua, que recebeu R$ 3 milhões.
Átila chegou a pedir pessoalmente ao presidente Michel Temer recursos para construir na cidade de Coari um hospital da mulher. Por emendas, Coari recebeu também R$ 3 milhões. Outras cidades da sua base foram beneficiadas: Borba, São Paulo de Olivença e Carauari. No caso dos demais deputados, as emendas da Saúde para suas bases foram comprovadas por ISTOÉ. Em Sergipe, Laércio Oliveira, chegou a divulgar nota à imprensa anunciando a liberação dos recursos para a Saúde de Aracaju, após se filiar ao PP. A cidade recebeu R$ 700 mil.

Mais informações, acesse o link: https://istoe.com.br/o-pp-foi-as-compras/

Comentários

comentários

Deixe seu comentário