Parentes tomam conta de P. Figueiredo enquanto prefeita fez turismo em Beto Carreiro-PR

Professores acampados na prefeitura à espera de receber o Fundeb - foto: recorte

A prefeita Patrícia Lopes (União Brasil), voltou às pressas do desfrute das maravilhas e do frio em uma das mais famosas cidade turística do Brasil, a cidade de Beto Carreiro em Santa Catarina, depois que ela e uma caravana formada por secretários, assessores e familiares, que tinham ido ajudar a comemorar o aniversário do filho e fazer turismo, descobriram que a cidade estava virando do avesso.

Enquanto ela estava fora, os professores fizeram acampamento no prédio da prefeitura para forçar a prefeita pagar o Fundeb, da mesma forma, pequenos e médios agricultores despejaram sua produção estragada na frente do prédio da administração municipal, todos reclamando dos atoleiros, que se transformaram os ramais em todo o município e, pior, deixou margem para a reeleição antecipada do presidente da Câmara Municipal, em uma eleição feita às pressas.

Nova atração para a cidade, anunciam oposição e comunidade – foto: recorte

Para o comunitário um dos prejudicados com os atoleiros dos ramais, Franciney Nascimento da comunidade Cristo Rei, a cidade de Presidente Figueiredo está sem administração a muito tempo, as ruas cheias de buracos e lama, e a Prefeita Patrícia Lopes (UB) fazendo turismo no Sul do País.

O marido da tia, Roberto Rocha, que é trabalha na prefeitura sem ser funcionário – foto: recorte/rede sociais

Eleição às pressas

Em uma lance de esperteza, o presidente da Câmara Municipal, vereador Marcos Nascimento (PSB), aproveitou a brecha deixada pela prefeita e resolveu ganhar mais um mandato de dois anos.

Marcos Nascimento viu que a ausência da Prefeita Patrícia Lopes (União Brasil), era favorável para a sua reeleição e resolveu antecipar a votação da Mesa Diretora para o dia 22/06. Com isso, ele jogou a bronca para cima da oposição, que foi pega de calça curta.

“Até quando vamos ter que esperar que a Senhora prefeita Patrícia Lopes do MDB brinque com o nosso município?”, pergunta.

Denúncia séria

Na sede da prefeitura, as denúncias são mais grave ainda. Populares, comunitários e internautas tem falado do nepotismo e desvio de função praticado pela atual prefeita.

Patrícia tem como escudeiros na prefeitura, a sua tia Elianda Miranda dos Santos Rocha, que é sub-secretária de gabinete e o seu marido, Roberto Rocha, que segundo comentam, ele está é funcionário da educação, mas do governo do Ceará. Por isso não pode entrar na folha de pagamento de Presidente Figueiredo, mas manda mais que o vice-prefeito Anderson Leal (Podemos).

E ainda tem o irmão da prefeita, Germano Miranda Lopes, que é sub-secretário de infraestrutura e que manda mais que o titular da pasta. “O irmão manda na Secretaria de Obras a Tia da prefeita e o marido mandam no gabinete e na prefeitura, mesmo sem ter portaria”, explica.

Ou seja, Roberto Rocha trabalha de graça sem remuneração só por amor ao município. Além deles, as pessoas destacam que existem mais de ‘10 parentes’, entre primos e sobrinhos e amigos dos sobrinhos, tios, primos. É uma farra.

Ministério Público

“Estão nos fazendo de bobos. Esperamos que a Ministério Público, a Promotoria de Justiça, os tribunais tomem providências urgentes”, faz o pedido de socorro o comunitário Franciney.

 

Professores acampados na prefeitura, esperando receber o dinheiro do Fundeb – foto: recorte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui