Plano integrado de Segurança traz mudanças efetivas no Sistema Prisional do AM

Fotos: Bruno Zanardo/SECOM e Divulgação/SSP

Órgãos de Segurança do Estado e Forças Armadas divulgaram, nesta sexta-feira, dia 28, durante coletiva à imprensa, o balanço das medidas realizadas nos últimos seis meses com objetivo de estabilizar o Sistema Prisional e coibir práticas criminosas dentro e fora dos presídios. As ações vêm sendo realizadas por pelo menos 30 órgãos das esferas federal, estadual e municipal, que fazem parte do Comitê Integrado do Sistema Prisional.

Dentre os órgãos estão a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica), Agência Brasileira de Inteligência, e outros, que disponibilizam todo aparato operacional e de inteligência.

Dentre as ações está a Operação Varredura, que tem apoio das Forças Armadas e acontece desde o início do ano e já resultou na retirada de centenas de objetos proibidos como celulares e facas.

Monitoramento – De acordo com o secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, diariamente, os órgãos atuam em ações de monitoramento de circuitos internos com aproximadamente 300 câmeras, investigações, levantamentos de inteligência, revistas com alta tecnologia nas unidades, reforço no policiamento nas muralhas, controle de objetos nas entradas das unidades e outras medidas restritivas que tiveram efeito positivo nos últimos seis meses.

Ele afirmou que as operações integradas terão continuidade enquanto houver necessidade. “Nós não podemos deixar o crime organizado comandar suas ações de dentro do presídio para fora, para isso temos que manter o equilíbrio e ordem no Sistema Prisional, o que hoje é realidade mediante esforço conjunto entre os órgãos de Segurança e as Forças Armadas”, destacou.

Medidas emergenciais – Somente a Seap implantou pelo menos 13 medidas emergenciais que provocaram grandes mudanças operacionais: mudanças no banho de sol, liberado em horários diferenciados para os pavilhões, redução no número de visitas, aumento de revistas preventivas, implantação do canil no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, redução de materiais permitidos nas unidades, aceleração das obras do Centro de Detenção Provisória Masculino II, desativação da Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, maior integração entre os órgãos de Segurança para Operações, permanência da Força Nacional, aquisição de equipamentos, entre outras.

O Comandante Militar da Amazônia, general Antônio Miotto, afirmou que os objetivos do Exército nas ações de Varredura foram cumpridos e que as Forças Armadas estão de prontidão para atender e participar de novas ações. “Estamos aqui para contribuir com os órgãos de Segurança, fizemos um trabalho altamente técnico, com equipamentos modernos e com pessoal qualificado para essas ações. Com isso temos certeza que entregamos as unidades limpas como tem que ser”, disse.

O secretário de Administração Penitenciária, coronel Cleitman Coelho, destacou que todas as mudanças foram essenciais para restabelecer a ordem. “As ações dos órgãos estaduais de Segurança, com apoio das Forças Armadas, conseguiram sim dar uma resposta aos acontecimentos do início do ano, com o controle e estabilização do Sistema Prisional, impedindo que os presos cometam crimes dentro ou fora das unidades, mostrando que o Estado tem o controle”, afirmou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui