Prefeito de Manaus entrega Praça Dom Pedro II revitalizada

Foto: Mário Oliveira / Semcom

Com mais de mil anos de histórias, numa das áreas do Centro mais antigas da cidade, a praça Dom Pedro II foi entregue completamente revitalizada nesta quarta-feira, 12/8, pelo prefeito Arthur Virgílio Neto. É mais uma ação do projeto “Manaus Histórica”, que tem revitalizado importantes patrimônios arquitetônicos da Manaus da Belle Époque.

“Isso aqui era um sonho. Buscamos reconstruir e ser agente propulsor de uma boa história. Estamos inaugurando essa praça restaurada, com chafariz, e espero que zelem pela beleza e história deste local”, disse o prefeito. “É um passo avançado na revitalização do centro de Manaus. Muitos voltaram a morar aqui quando começamos a valorizar esse espaço. Meu coração pertence a essa cidade e ao centro histórico, um legado do nosso governo que vamos deixar a esta cidade”, completou Arthur.

Foto: Mário Oliveira / Semcom

Também participaram da entrega da praça a presidente da Comissão Especial de Paisagismo e Urbanismo e do Fundo Manaus Solidária, a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro; o diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Claudio Guenka; o diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), Bernardo Monteiro de Paula; a superintendente do Instituto Nacional de Patrimônio Histórico Nacional (Iphan-AM), Karla Bittar; além do Quarteto Ajuricaba, que realizou uma apresentação musical no coreto da praça.

Parceira da prefeitura na revitalização da praça, a superintendente do Iphan-AM destacou a importância da obra para a história da cidade.

Foto: Mário Oliveira / Semcom

A praça está implantada sobre uma antiga área de sepultamentos indígenas com urnas de mais de 1.500 anos e o projeto de revitalização do arqueólogo Eduardo Neves teve como foco a proteção do material arqueológico existente no sítio, promovendo uma composição gráfica em alusão à presença das urnas cerâmicas no local. As pedras usadas no desenho foram a carranca e o arenito negro.

A acessibilidade também foi priorizada no projeto, que contemplou, ainda, serviços de sinalização, mobiliário urbano, novas instalações elétricas e de drenagem, nova composição paisagística, assentamento de pisos, recuperação de postes do tipo Cajado de São José com lâmpadas de LED e a recuperação total do belo chafariz, que voltou a funcionar depois de anos sem operação.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui