Proposta indecente: transporte Especial quer reduzir em 10% os salários

Presidente do Sindespecial, William Enock, falando à categoria - foto: Gabriel Enock

Aproveitando-se da crise na saúde em todo o Brasil, por conta da pandemia do coronavírus, empresários do setor dos transportes Especial, que fazem rota para o Distrito Industrial em Manaus, resolveram ir contra a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) dos trabalhadores e as Leis Trabalhistas do País.

Conforme disseram os diretores do Sindicato dos Transportes Especial (Sindespecial), os donos dos micro-ônibus especial estão visando unicamente os seus interesses.

“Os empresários interpretaram alguns mecanismos implantados pelo governo federal nessa pandemia, por exemplo, a ‘flexibilizando à Legislação Trabalhista, apenas como ferramenta para redução de salário e não como proposta de manutenção dos empregos e de contrapartida a ser dada pelos próprios empresários enquanto o País volte à normalidade”, lamentou o presidente William Enock.

A única contraproposta apresentada pelos empresários, vista como indecente por toda a categoria do Sindespecial, tenta reduzir em 10% os salários dos motoristas, em vez de reajustar conforme proposto pela CCT, e as negociações iniciadas esse mês, relativo à nova data base …

Veja a justificativa dos empresários:

 

Veja a proposta de negociação dos Trabalhadores:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui