Recado do presidente foi entendido pelo prefeito de Rio Preto da Eva

O prefeito Anderson Sousa e o Grupo Gestor da Covid-19 de Rio Preto da Eva - foto: Erlan Roberto/vídeo

O prefeito de Rio Preto da Eva, Anderson Sousa, disse que entendeu o recado dado pelo presidente Jair Bolsonaro, quando esse afirma que não se pode sacrificar empregos e a economia dos municípios e estados por conta da pandemia do coronavírus que se arrasta a mais de ano.

Anderson afirma que vem adotando medidas restritivas e de combate ao Covid-19, sem no entanto, sacrificar o desenvolvimento da economia como um todo. Além disso, o prefeito conta que em Rio Preto da Eva os índices de infectados está abaixo da média de outros municípios do Estado. “Temos 20 leitos no hospital e dez nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), com dois pacientes internados”, ponderou.

Início da pandemia

Desde o início da pandemia de coronavirus no Amazonas – em março do ano passado -, Rio Preto da Eva (a 79 quilômetros de Manaus) registrou 3.993 casos de covid-19.

Ainda assim, o município manteve todos os serviços (essenciais e não essenciais) funcionando, adotando apenas o toque de recolher entre 19h e 6h, além de outras medidas restritivas e preventivas.

Rio Preto da Eva foi um dos primeiros municípios do Amazonas a adotar medidas de combate ao coronavirus, evitando, inclusive, a realização de eventos que pela sua magnitude, consequentemente, teriam grandes aglomerações. “Todas as festas que pudessem gerar aglomeração foram canceladas, com o objetivo de evitar a contágio pelo Covid-19”, acentua o prefeito.

O recado do presidente Jair Bolsonaro, entretanto, não é visto como um ‘bicho de 7 cabeças’ pelo prefeito Anderson Sousa. Para ele, o desenvolvimento de pilares para o projeto de sustentabilidade econômica de Rio Preto da Eva está montado e em andamento. “Evidente, que formatado em medidas de prevenção, combate e tratamento de possíveis infectados pela doença”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui