Restos de peixe servem para fazer ração para o seu Pet

Conheça como é feito o reaproveitamento dos restos de peixes não utilizados pela indústria de alimentos - foto: arquivo/divulgação

Reciclagem é a atividade de recuperação da matéria-prima descartada, que se transforma em um novo produto, retornando ao ciclo de produção.

A importância da reciclagem está atrelada ao desenvolvimento sustentável de uma região, não só ao meio ambiente, mas também aos aspectos sociais e econômicos.

A reciclagem de papel, o reaproveitamento de garrafas pet e de alumínio são atividades bastante conhecidas no Brasil. O que poucas pessoas imaginam é que existe também uma indústria de reciclagem de proteína animal e esta alternativa em expansão tem um grande exemplo no sul do país.

Estado que mais produz pescados

Santa Catarina continua a manter o posto de um dos maiores produtores de pescado do Brasil fazendo com que a atividade desempenhe importante papel na economia do estado. São cerca de 150 mil toneladas pescadas industrial e artesanalmente, mas desse montante, 70% da maioria dos pescados são desperdiçados.

Para contribuir com o mercado de reciclagem a empresa Agroforte, em Biguaçu, tem a capacidade de beneficiar cerca de 300 toneladas de resíduos de peixes que iriam parar em aterros sanitários ou lixões.

De forma consciente e em parceria com peixarias, colônia de pescadores, pequenas, médias e grandes empresas de pescados e mercados públicos, a Agroforte transforma, e torna útil, as partes do peixe que não servem para serem comercializadas.

Essa matéria-prima acumulada diariamente passa por um processo de beneficiamento e se transforma na farinha e óleo, tão desejados por grande parte do mercado brasileiro e internacional, dando sequência à linha da sustentabilidade, como importante ingrediente de nutrição animal especialmente para peixes e camarões cultivados.

Desse insumo 25% é farinha, 5% é óleo e 70% é água, que a empresa devolve dentro dos padrões estabelecidos pelos órgãos competentes para o meio ambiente.

Reciclagem dos resíduos de peixe gera matéria-prima para fabricação de ração – foto: arquivo/divulgação pets

Saiba como é feito esse reaproveitamento:

Coleta: a fase da coleta é feita em parceria com peixarias, filetadores e mercados públicos que descartam os resíduos, que iriam para lixões e aterros, nos caminhões da Agroforte.

Cozimento: Assim que o resíduo chega à indústria ele passa primeiro pela fase de cozimento que “frita” o alimento para dessecar.
– Separação de fases: (água | secador | óleo) Aqui o resíduo é triturado e dividido em água, farinha e óleo.

Processamento: (água | farinha) Nessa fase a água e farinha vão para as Estações de Tratamento onde passam pelo processo de refinamento e purificação.

Destino Final: E para finalizar a matéria-prima está pronta para voltar ao ciclo de produção, como insumo de ração para peixes, camarões e pets de alta qualidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui