San Lorenzo(ARG) e Nacional(PAR) decidem nesta quarta(13) a Libertadores

Torcedores do San Lorenzo em busca de ingressos/Foto: Daniel Mundim

Torcedores do San Lorenzo em busca de ingressos/Foto: Daniel Mundim
Torcedores do San Lorenzo em busca de ingressos/Foto: Daniel Mundim

A glória tão aguardada diante da glória inesperada. San LorenzoRG e Nacional-PAR chegam ao dia mais importante de suas histórias centenárias. Para o Ciclón, será a chance de deixar de ser o único grande da Argentina sem o título da Libertadores. Para os paraguaios, é a oportunidade de dar um passo à frente e tentar se firmar entre os grandes do país.

O time azul-grená e o Tricolor se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h15, no estádio Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires, no jogo decisivo da Libertadores da América. O GloboEsporte.com acompanha a partida em Tempo Real.

No jogo de ida, empate por 1 a 1 no Defensores del Chaco, em Assunção, com gol obtido no derradeiro minuto pelos donos da casa. O resultado deixa o título nas mãos de quem vencer nesta noite. Um novo empate leva a decisão para a prorrogação e pênaltis. As duas equipes nunca estiveram em uma final antes – os paraguaios sequer tinham avançado da primeira fase – farão um campeão inédito pela terceira vez seguida na Libertadores, algo que também nunca ocorreu. É a primeira decisão sem times brasileiros dos últimos nove anos. A arbitragem será do brasileiro Sandro Meira Ricci, auxiliado por Emerson de Carvalho e Marcelo Van Gasse.

A noite desta quarta é o momento que os torcedores cuervos sempre esperaram. A ambição pela Copa Libertadores está nos gritos da torcida. Não à toa a venda de ingressos tirou o sono da “hinchada” e da diretoria do clube. Com 60 mil sócios e 40 mil bilhetes disponíveis, a comercialização se tornou um problema desde antes do jogo de ida. Torcedores acamparam, esperaram horas e dias em filas, mas o processo de compra não permitiu com que todos saíssem com a preciosa entrada em mãos.

Um dia antes do jogo, vários ainda se aglomeravam em frente a uma das sedes do time na busca por um tíquete. Algusn para retirá-lo, outros para tentar comprar. A expectativa é que muitos torcedores sem ingressos vão ao Nuevo Gasómetro. Para evitar qualquer confusão, a diretoria do Ciclón pretende instalar uma “fan fest” entre as avenidas San Juan e Boedo, ponto de encontro dos amantes do San Lorenzo.

Diante de tanto apelo e ansiedade para a partida, o técnico Edgardo Bauza, que já foi campeão do torneio em 2008 com a LDU, tratou de blindar a equipe. Após a partida no Paraguai, o time argentino retornou a Buenos Aires e, na última sexta-feira, fez seu último treino e contato com a imprensa. Desde sábado até a véspera da final os treinamentos foram com portões fechados. Nenhuma entrevista foi concedida. No entanto, ele espera que seus jogadores sintam a empolgação da torcida, mas na medida certa.

– Esta loucura generalizada do torcedor é manifestada desde que a Copa (Libertadores) começou. Me parece lógico e bom que todos sintamos essa energia. Os jogadores já me deram mostras de que na hora de jogar a partida, eles podem se concentrar. Ninguém vai mudar a sua forma de jogar na última partida. Cada um vai fazer como fez durante toda a competição – declarou Bauza, na sexta-feira, quando deu sua última entrevista coletiva.

Mesmo com treinos fechados, a escalação treinada pelo treinador não é um mistério. O atacante Cauteruccio será o substituto de Ignacio Piatti, que está acertado com o Montreal Impact e não foi liberado para o segundo jogo da decisão. O uruguaio volta a ser titular de uma partida após 11 meses. Ele se recuperava de cirurgia no joelho. Já Nacho Piatti sequer deve assistir à partida no Nuevo Gasómetro. O zagueiro Cetto, recuperado de contratura muscular, volta ao time e ocupa o lugar de Fontanini.

Por um novo patamar

O grupo do Nacional se mantém como sempre esteve. Tranquilo. Aceitam que o protagonismo da final está com o San Lorenzo e não fazem questão de tirar tal papel dos adversários. O Tricolor começou a ressurgir em seu país na última década, com dois títulos paraguaios e um vice-campeonato. Agora, atinge um feito que apenas o Olimpia havia conseguido no Paraguai. Falta a segunda parte, que é ser campeão.

Para isso, o jovem técnico Gustavo Morínigo espera que seu time não sinta a pressão que virá das arquibancadas e seja menos nervoso do que foi no jogo de ida. Ele, inclusive, preferiu não fazer o treino de reconhecimento do Nuevo Gasómetro para que a equipe permanecesse descansando no hotel onde está concentrada, em Tigre, a 40 quilômetros do centro de Buenos Aires.

– Isso depende mais da pessoa, e quando digo pessoa é o jogador. Cada um reage de uma forma, se pode absorver essa pressão. E isso é tanto a favor, como contra. Vamos ver como vão assimilar isso. Por minha parte, creio que minha equipe está tranquila, que já passamos desse momento de nervosismo de começar uma final, e que agora creio que vamos estar um pouco melhores nessa parte – analisou.

Ao contrário do rival, que esgotou as entradas para visitantes no jogo de ida em poucas horas, o Nacional Querido vendeu apenas mil ingressos no Paraguai. O restante, cerca de 3 mil, seria vendido na capital argentina. Segundo dirigentes, nesta terça-feira ainda sobravam 300 entradas.

Em campo, Morínigo tem duas dúvidas e um retorno. O lateral-direito Ramón Coronel, que foi diagnosticado com uma lesão na coxa, fez tratamento intensivo e pode jogar. Argüello, que atuou no jogo ida, será improvisado no setor caso Coronel não atue. O volante Riveros volta de suspensão. A última dúvida está no ataque. Montenegro está recuperado de lesão, mas Bareiro, que é o único de todo o elenco do Nacional com experiência em final de Libertadores – jogou pelo Olimpia no ano passado –, pode permanecer no time.

Os pênaltis fizeram parte dos treinamentos dos paraguaios, mas o comandante garante que seu time não quer que o título seja decidido tão tarde. Gustavo Morínigo guarda a lembrança do segundo jogo com o Defensor, quando o Nacional teve uma postura excessivamente defensiva. Ele espera algo diferente no Nuevo Gasómetro.

– O Nacional vai jogar pelos 90 minutos – assegura.

Ficha Técnica
San Lorenzo (ARG):
Torrico; Buffarini, Cetto, Gentiletti e Más; Ortigoza, Mercier, Villalba e Romagnoli; Cauteruccio e Matos.
Técnico: Edgardo Bauza

Nacional(PAR)
Ignacio Don; Ramón Coronel (Argüello), Raúl Piris, José Cáceres e Mendoza; Riveros, Silvio Torales, Derlis Orué, Marcos Melgarejo e Benítez; Brian Montenegro (Bareiro).Técnico: Gustavo Morínigo

Árbitro: Sandro Meira Ricci (BRA)
Auxiliares: Emerson de Carvalho e Marcelo Van Gasse

Local: Estádio Nuevo Gasómetro, Buenos Aires

Horário: 20h15 (de Manaus)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui