Santos ou Palmeiras, Vasco ou Botafogo, Grêmio ou Inter, quem será campeão?

No primeiro jogo deu Verdão/Foto: Divulgação

No primeiro jogo deu Verdão/Foto: Divulgação
No primeiro jogo deu Verdão/Foto: Divulgação

Antes do começo do Paulistão, era difícil prever uma final entre Santos e Palmeiras. Apesar da grandeza e da tradição das duas equipes, suas trajetórias teriam que superar a do Corinthians de Tite e a do São Paulo vice-campeão brasileiro. Contra as expectativas, o alviverde e o alvinegro superaram os elencos mais entrosados e consolidados dos rivais e decidem, hoje, domingo, na Vila Belmiro, o título do Paulistão.

Os dois clubes começaram o ano em situações bem diferentes, e, por isso, seguiram caminhos e filosofias diversas para chegar à final. Com a situação financeira regularizada, o Palmeiras foi ao mercado e investiu pesado, trazendo quase um time inteiro novo. O Santos, por outro lado, vivendo grave crise financeira, apostou mais uma vez na mistura de jovens com veteranos, como Ricardo Oliveira.

Depois de escapar por pouco do rebaixamento no Brasileirão 2014 – curiosamente, uma vitória do Santos sobre o Vitória-BA, na última rodada, ajudou a garantir a permanência – o alviverde encontrou seu rumo fora de campo. Com o Allianz Parque, teve renda bruta superior a R$ 20 milhões; encontrou um patrocinador máster e viu seu programa de sócio-torcedor, o Avanti, se tornar o segundo maior do Brasil.

Dentro de campo, isso refletiu em um time mais forte do que o do ano passado, mas ainda desentrosado; as principais armas são reforços contratados em janeiro, casos de Dudu, Rafael Marques, Robinho, Cleiton Xavier e Leandro Pereira. A eles se junta Valdivia, recuperado após ficar de fora da primeira partida da final, no domingo passado.

Enquanto isso, o Santos perdeu jogadores na Justiça por falta de pagamento de salários – dois deles, Aranha e Arouca, foram para o Palmeiras. Sem patrocinador máster há três anos, o alvinegro ainda sofre ações na Justiça de outros atletas, como Leandro Damião, emprestado ao Cruzeiro. A principal contratação da temporada foi Ricardo Oliveira, que aceitou vir com um salário baixo, em uma aposta de risco – é o artilheiro e premiado melhor jogador do campeonato pela Federação Paulista.

Além do centroavante, o clube da Baixada também contou com ótimas atuações de seus jovens, como o zagueiro Gustavo Henrique, Geuvânio e Lucas Lima. Mesmo com a crise financeira, Robinho, um dos mais experientes do elenco, aceitou permanecer e disputar o Paulista.

As duas filosofias se encontram mais uma vez no domingo, para decidir de forma definitiva o título do Paulistão. Depois de vencer o primeiro jogo por 1 a 0 no Allianz Parque, o Palmeiras joga pelo empate na Vila Belmiro.

Como ocorreu na preparação para a primeira partida, os treinadores Oswaldo de Oliveira e Marcelo Fernandes voltaram esconder suas escalações. No alviverde, Arouca é dúvida, com uma lesão na coxa; Valdivia está à disposição, mas o Oswaldo não confirmou se será titular.

No Santos, Robinho também está recuperado e vai para o jogo, mas pode não estar suspenso fisicamente. Na defesa, Gustavo Henrique e Werley voltam a ficar às disposição.

FICHA TÉCNICA
SANTOS X PALMEIRAS

Data/horário: 3/5/2015 – 15h00( de Manaus)
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Alex Ang Ribeiro

SANTOS
Vladimir; Victor Ferraz, Gustavo Henrique (Werley), David Braz e Chiquinho; Valencia (Lucas Otávio), Renato e Lucas Lima; Geuvânio, Robinho e Ricardo Oliveira. Técnico: Marcelo Fernandes.

PALMEIRAS
Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e Zé Roberto; Gabriel, Robinho, Rafael Marques, Valdivia e Dudu; Leandro Pereira. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Os ‘azarões’do RJ

Guiñazu, o xerife do Vasco que leva vantagem/Foto: Divulgação
Guiñazu, o xerife do Vasco que leva vantagem/Foto: Divulgação

Tidos como azarões antes do início do Campeonato Carioca, Botafogo e Vasco decidem a competição neste domingo, às 16h, no Maracanã, com histórias a construir na ponta do lápis. Ao Alvinegro, o título representará a reconstrução de um clube rebaixado à Série B do Brasileirão ano passado. Ao Cruzmaltino, o fim do jejum que já dura 12 anos sem conquistas do Estadual.

No primeiro duelo, o time de São Januário venceu por 1 a 0 com um gol aos 46 minutos do segundo tempo marcado pelo atacante Rafael Silva. Por conta disso, os vascaínos jogam com a vantagem do empate para ficar com o título. Em caso de vitória dos botafoguenses por um gol de diferença, a decisão vai para os pênaltis.

A final mobiliza a cidade. Os ingressos se esgotaram no primeiro dia de vendas e os cruzmaltinos foram grande maioria nas bilheterias. Muitos deles compraram, inclusive, ingressos para o setor dos botafoguenses, algo que deixa em alerta as autoridades. A Polícia Militar ressalta que torcedores do Vasco não entraram no setor Norte caso estejam vestidos com a camisa do clube.

Em campo, o Botafogo novamente lamenta a ausência de duas importantes figuras: o goleiro Jefferson, que não conseguiu se recuperar a tempo da cirurgia realizada no joelho direito, e o atacante Jobson, suspenso pela Fifa por conta de não realizar um exame antidoping quando jogava na Arábia Saudita.

Diante dos desfalques, o técnico René Simões novamente aposta no arqueiro Renan, que brilhou contra o Fluminense nas semifinais, e no veloz atacante Rodrigo Pimpão.

“Nosso time é muito bom. É difícil ficar sem fazer gol em um jogo, só nesse último mesmo contra o Vasco. Nosso ataque cria muito. Gol nosso vai ter, e espero segurar lá atrás”, declarou Renan.

Já o Vasco seguiu a cartilha que deu certo nas semifinais contra o Flamengo. Realizou todos os seus treinos com portões fechados para não dar pistas ao adversário. Com todos os jogadores do elenco a disposição, o técnico Doriva tem apenas uma dúvida na escalação, e ela fica entre Marcinho, Bernardo ou Rafael Silva.

“Eu tinha poucas dúvidas, mas elas já estão solucionadas. Ainda que vocês não saibam (jornalistas). Já tenho a equipe que vai iniciar. Vai ser uma equipe competitiva. Deixo para vocês descobrirem”, disse Doriva.

De acordo com a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), o campeão carioca receberá um prêmio de R$ 3,5 milhões. Já o vice ficará com R$ 1 milhão.

BOTAFOGO X VASCO
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data e hora: 3 de maio, às 16h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique e Dibert Pedrosa Moisés

Botafogo
Renan, Gilberto, Renan Fonseca, Diego Giaretta e Thiago Carleto; Marcelo Mattos, Willian Arão, Fernandes e Gegê (Diego Jardel); Rodrigo Pimpão e Bill
Técnico: René Silva

Vasco
Martín Silva, Madson, Luan, Rodrigo e Christiano; Guiñazu, Serginho, Julio dos Santos e Marcinho (Bernardo ou Rafael Silva); Dagoberto e Gilberto
Técnico: Doriva

Decisão em campo neutro

A Caldense pode zebrar em MG/Foto: Divulgação
A Caldense pode zebrar em MG/Foto: Divulgação

Chegou o grande dia para os torcedores da Caldense e do Atlético-MG. As duas equipes decidem a partir das 16h, no Estádio Dilzon Melo, em Varginha, quem vai ser o campeão do Campeonato Mineiro de 2015. Dona da melhor campanha, a equipe de Poços de Caldas precisa de apenas um empate para ter sua conquista mais importante em 90 anos de história. Já o gigante da capital precisa vencer, para vencer o Estadual pela 43ª vez.

Maior vencedor da competição, o Atlético trata a final com a Caldense com muito mais importância do que tem o peso desta conquista. Vencer a disputa estadual não é mais uma prioridade entre os torcedores das grandes equipes, mas nem por isso o técnico Levir Culpi vai poupar titulares ou priorizar a Libertadores, já que daqui três dias o Atlético tem uma importante partida com o Internacional, pelas oitavas de final do torneio continental.

Até mesmo treino fechado para a imprensa teve durante a semana. A concentração, abolida no ano passado, até mesmo para a final da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro, voltou. Os jogadores seguiram para o sul de Minas um dia antes do jogo. Assim, o Atlético trata o Campeonato Mineiro com o peso que ele tinha há 25 ou 30 anos atrás.

“Esse tipo de jogo não há nem muita necessidade de motivar os jogadores, naturalmente, em torno, as notícias, já carregam a decisão de campeonato. A motivação é quase que automática. Você sente que há alguma coisa diferente no ar. É o medo da partida decisiva que deixa as coisas mais concentrada”, analisou o técnico Levir Culpi.

Missão nada fácil para o Atlético, já que do outro lado está o time de melhor campanha e defesa menos vazada da competição. Mas com o espírito de outras decisões, quando precisa vencer para continuar vivo, o time alvinegro promete muito empenho para reverter a situação e conquistar mais um título.

“A Caldense tem uma bela equipe, é bem montada e agora não tem volta mais. Conseguiram arrancar um empate que foi muito importante para eles, na nossa casa. A festa do torcedor foi bonita e lamentamos bastante não sair com a vitória. Agora é o último jogo do campeonato. Temos que saber jogar, ir com tudo, com inteligência, para matar logo o jogo e conquistar o título mineiro”, comentou Luan.

Campeã do Mineiro em 2002, a Caldense busca sua segunda conquista estadual. No entanto, na edição que venceu na década passada, os grandes clubes da capital não participaram do torneio, já que disputavam e extinta Taça Sul-Minas. Portanto, conquistar o título em 2015, de forma invicta e jogando contra todos os grandes do estado vai ser o maior feito para o clube fundado há 90 anos.

FICHA TÉCNICA
CALDENSE X ATLÉTICO-MG
Data: 3 de maio de 2015, domingo
Horário: 16h00 (de Brasília)
Motivo: Final do Campeonato Mineiro
Local: Estádio Dilzon Melo, em Varginha (MG)
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (CBF/MG)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo e Janete Mara Arcanjo (ambos Fifa)

CALDENSE: Rodrigo; Marcelinho, Plínio, Paulão e Rafael Estevam; Serginho, Yuri, Tiago Azulão e Nadson; Zambi e Luiz Eduardo.
Técnico: Leonardo Condé

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Leandro Donizete, Dátolo, Luan e Giovanni Augusto; Carlos e Lucas Pratto.
Técnico: Levir CulpiDecisão que pode ir pra história

Decisão que pode ir pra história

Na defesa vale tudo no Grenal/Foto: Divulgação
Na defesa vale tudo no Grenal/Foto: Divulgação

Os últimos 90 minutos do Campeonato Gaúcho de 2015 poderão entrar para a história. A decisão entre Internacional e Grêmio, hoje, domingo (03) no Beira-Rio, vale taça e reúne pelo menos 10 coisas que se acontecerem, eternizarão o clássico de número 406. O Colorado tem a vantagem do mando de campo, mas o Tricolor pode erguer o troféu com um mero empate.

A lista conta com marcas ao alcance de ambos os times. Também engloba os técnicos e aponta, até mesmo, efemérides e estatísticas da atual temporada. O Placar UOL acompanha a final a partir das 16h00.

1. Pentacampeonato 42 anos depois

2. Primeiro título no novo Beira-Rio

3. Terceira conquista do Grêmio na casa do Inter

4. Estrangeiro campeão com o Inter após 50 anos

5. Fim do jejum do Grêmio no estadual quatro anos depois

6. Tira-teima do ano após dois empates sem gols

7. D’Ale maior que Falcão. Em conquistas do Gauchão…

8. Quarto título de Felipão em cima do Inter

9. Fim da invencibilidade de um dos lados

10. Repetição de 2006 ou não

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL X GRÊMIO

Data e hora: 03/05/2015 (domingo), às 16h (Brasília)
Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre
Transmissão na TV: Globo (somente para o RS) e PPV
Árbitro: Leandro Vuaden
Auxiliares: Rafael Dias Alves e Marcelo Barison

INTERNACIONAL: Alisson; William, Ernando, Alan Costa e Geferson; Rodrigo Dourado, Aránguiz, Eduardo Sasha, D’Alessandro e Valdívia (Nico Freitas); Nilmar
Técnico: Diego Aguirre

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Matías Rodríguez, Erazo, Rhodolfo e Marcelo Oliveira; Fellipe Bastos, Maicon, Giuliano, Douglas e Luan; Braian Rodríguez
Técnico: Felipão

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui