Seduc apresenta 28 trabalhos na 5ª edição da Feira de Ciências da Amazônia

Fotos: Lucas Abecassis/SEDUC

Começou, na manhã desta segunda (27), a quinta edição da Feira de Ciências da Amazônia (FCA), realizada pela Secretaria de Planejamento, Desenvolvimento Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplan-CTI), com exposição de projetos de escolas estaduais, escolas municipais, particulares e federal no Amazonas.

A exposição é aberta ao público e termina nesta terça-feira (28), com exposição de trabalhos das 8h às 12h e das 14h às 17h, na Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério, localizado na aveida Maceió, Adrianópolis, zona centro-sul de Manaus.

O objetivo da quinta edição da FCA é reunir os melhores projetos de ciência, tecnologia e inovação do Estado, com 50 projetos que concorrem em quatro categorias, sendo duas de ciência (ciência para sociedade e ciência para meio ambiente) e duas de engenharias (engenharia para sociedade e engenharia para meio ambiente), tendo cada projeto concorrendo entre si com premiação para primeiro, segundo e terceiro lugares, além disso, existe a premiação geral, que credenciais para feiras em São Paulo, Recife e uma nos Estados Unidos.

Fotos: Lucas Abecassis/SEDUC

Parceria – A Secretaria de Educação de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) é parceira do evento, por meio do Programa Ciência na Escola (PCE), pelo quarto ano consecutivo. Neste ano, conta com 28 projetos na Feira. A coordenadora do PCE, Simara Couto, fala da importância do evento para os alunos.

“Vários projetos aqui já foram credenciados para outras feiras nacionais e internacionais, já saíram do nosso Estado para mostrar os projetos e todo ano tem projetos das nossas escolas premiadas. Porque trabalhar com projetos é uma forma de educar, tanto para professor como para o aluno”, disse a professora.

Criatividade e relevância – Para um dos avaliadores da FCA, João Verçosa, o principal quesito para credenciar o trabalho na Feira da Amazônia é saber se o produto tem relevância para a sociedade.

“Estou avaliando a criatividade e relevância social, se os trabalhos têm impactos para a sociedade, para escola, se vai alcançar alguém. E tenho visto que as escolas não estão pensando somente em si, mas pensando em soluções para todo Estado”, disse o avaliador.

Encerramento – Na terça-feira (28/11), às 16h, será a solenidade de premiação dos melhores projetos, realizado pela Associação Brasileira de Incentivos a Ciência (Abric), parceira da Feira de Ciências do Amazonas desde a primeira edição.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui