Sindespecial diz que Empresa obriga motoristas a trabalharem até 12h/dia

Motorista do Sindepecial estão sofrendo acidente por trabalho excessivo - Foto: divulgação

A carga horária excessiva imposta aos motoristas da empresa de transportes especiais Trans Silvestre está provocando stress, cansaço físico e acidentes inesperados, que causam prejuízos materiais e psicológicos aos trabalhadores e à própria empresa.

A denúncia feita na sexta feira (04) pelo presidente do Sindicato dos Transportes Especiais (Sindespecial), William Enock, acontece depois do terceiro acidente só nesse início de mês com ônibus da empresa.

Enock tem insistido para que os proprietários da Trans Silvestre mantenham a carga horária de trabalho de 08h por dia e, 04 rotas no máximo durante a semana e 04h e, 02 duas rotas no sábado, mas os donos da empresa insistem com 12h e 05 rotas. “Dentro da carga horária estabelecida não cabe mais que 4 rotas, no máximo. Quando chega na 5ª rota, o motorista já está exausto e sujeito a acidentes”, aponta.

Os acidentes por 12 horas de trabalho está virando uma rotina – foto: divulgação

Irregularidades

A Trans Silvestre também está descumprindo a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e à Justiça do Trabalho ao obrigar os motoristas a fazerem até 12 horas de trabalho estafante por dia.

A empresa também está falhando com as suas obrigações trabalhistas, ao não assinar as carteiras de trabalho dos motoristas e por manter plano de saúde avulso, entre outras irregularidades.

A Trans Silvestre tem cerca de 60 motoristas sendo forçados a uma jornada diária de 12 horas, o que é visto pela categoria como trabalho desumano, estafante e, até certo ponto, criminoso, por colocar vidas de trabalhadores e passageiros em risco.

Diante das irregularidades, o Sindicato informa que está tomando as medidas cabíveis e, que as providências serão tomadas caso a empresa não cumpra a CCT e o acordo firmado com os motoristas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui